Polícia apura se houve homicídio culposo em morte de jovem que caiu de parapente

Nutricionista Priscila Boliveira, de 24 anos, morreu ontem no Rio ao cair de uma altura de 15 metros

iG Rio de Janeiro |

O inquérito aberto pela Polícia Civil do Rio de Janeiro sobre a morte da nutricionista Priscila Boliveira, de 24 anos, que caiu de um parapente no último domingo (25), vai apurar se houve crime de homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

Leia também : Perícia em parapente deverá ficar pronta em dez dias

Segundo informações da polícia, o instrutor, que fazia o voo duplo com a jovem, prestou depoimento na manhã desta segunda-feira (26) e informou ao delegado titular da 15ªDP, da Gávea, Fábio Barucke, que percebeu que Priscila estava caindo e tentou segurá-la, mas não conseguiu evitar a queda.

O equipamento utilizado no voo foi aprendido e passará por perícia e serão verificados, de acordo com o delegado, as informações passadas pelo instrutor de que o material havia sido vistoriado há cerca de dois meses e a licença de atuação do profissional.

A Polícia Civil informou, também, que a câmera que fica acoplada ao equipamento de voo não foi apresentada à perícia, mas o delegado Barucke confirma que equipes da delegacia vão se encontrar hoje com o instrutor para tentar apreender a câmera. Caso ele não entregue o equipamento pode ser autuado por crime de desobediência.

 A nutricionista Priscila Boliveira era irmã do ator Fabricio Boliveira, que participou de novelas como A Favorita e do filme Tropa de elite 2. A jovem caiu de uma altura de 15 metros.

Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: acidenteparapenteRio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG