PMs que liberaram motorista que atropelou Rafael são afastados

Corregedoria vai investigar conduta de policiais na abordagem ao carro logo após acidente que matou filho de Cissa Guimarães

Bruna Fantti e Daniel Gonçalves, especial para o iG |

A Corregedoria Interna da PM informou que vai apurar com rigor a conduta dos policiais militares do 23º BPM (Leblon) na abordagem ao carro que atropelou e matou Rafael Mascarenhas, 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, na madrugada desta terça-feira (20). Os PMs foram afastados das ruas até a conclusão da investigação. Segundo nota divulgada mais cedo pela corporação, os policiais não sabiam naquele instante do acidente no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro. Segundo a primeira nota, eles teriam realizado revista no motorista, identificado como Rafael de Souza Bussamra, na rua Padre Leonel Franca, a 7 quilômetros do túnel, que, de acordo com eles, não aparentava nervosismo. Também em um horário de baixa luminosidade não identificaram no carro Siena preto qualquer indício de crime. Porém, o veículo, que está estacionado na 15ª DP (Gávea), apresenta parte da frente destruída.

De acordo com a assessoria da PM, o condutor apresentou os documentos e, como estava dentro da normalidade, foi liberado em seguida. Segundo a nota, assim que os policiais tomaram conhecimento do crime no interior do túnel, isolaram o local para a perícia. Ali eles encontraram a placa do veículo que atropelou e matou Rafael. Todas as informações teriam sido passadas para a Polícia Civil.
Contudo, câmeras da CET-Rio mostram uma viatura acompanhando o Siena que atropelou Rafael a cerca de 200 metros da saída do túnel. O motorista do carro disse em depoimento que informou aos policiais sobre o acidente e que foi aconselhado a procurar uma delegacia para registrar a ocorrência. O Siena foi encaminhado para a 15ª DP (Gávea).

Nesta terça-feira a delegada Bárbara Lomba afirmou que iria apurar por que os policiais militares teriam apenas escoltado o carro até a saída do Túnel Acústico sem encaminhar os ocupantes até a delegacia, embora o motorista tenha afirmando sobre o atropelamento.

Rafael Mascarenhas morreu após ser atropelado na madrugada de terça-feira (20) enquanto andava de skate com alguns amigos no Túnel Acústico. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Miguel Couto, no mesmo bairro, mas não resistiu aos ferimentos. A pista do estava interditada para manutenção, mas mesmo assim dois carros passaram pelo local.

AE
Perícia analisa carro que atropelou e matou filho de Cissa Guimarães
Perícia em automóvel

Agentes da 15ª realizaram nesta quarta-feira uma perícia no carro de Rafael de Souza Bussamra, que confessou ter atropelado Rafael. Os investigadores pretendem apurar as contradições entre os depoimentos dos policiais militares que abordaram o carro na saída do túnel e o motorista. Bussamra disse em depoimento que avisou os agentes sobre o acidente e que foi orientado por eles a se dirigir a uma delegacia.

Para a Polícia Civil, caso seja comprovado que Bussamra realmente disse a verdade aos PMs, os agentes cometeram crime militar. No entanto, eles não serão autuados porque devem responder a Inquérito Policial Militar (IPM) na Corregedoria da PM.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG