PMs e bombeiros decidem encerrar a greve no Rio de Janeiro

Segundo integrantes do movimento, objetivo agora é lutar pela soltura de militares presos

iG Rio de Janeiro |

Em assembleia realizada na noite desta segunda-feira (13) na sede do Sindisprev (Sindicato dos Trabalhadores Federais da Saúde e da Previdência) no centro do Rio de Janeiro, os bombeiros e os policiais militares decidiram suspender oficialmente a greve, que foi iniciada na noite da última quinta-feira (9).

Leia também : PM, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros entram em greve no Rio

Segundo Ana Paula Matias, mulher de um dos 12 bombeiros presos na penitenciária de segurança máxima Bangu 1, na zona oeste do Rio de Janeiro, o objetivo do movimento agora é pela soltura dos militares que continuam detidos por terem incitado a greve. Além dos bombeiros, há 17 PMs na cadeia.

"Importante destacar que as corporações nunca deixaram de atender a população", disse Ana Paula.

Os policiais civis, que também haviam aderido ao movimento, encerraram a greve no último sábado (11).

Leia também : PM usa pressão militar, ameaça exclusão sumária, e tropa vai às ruas

A paralisação das três categorias foi decidida durante uma assembleia que reuniu cerca de 3 mil pessoas na noite de quinta-feira, na Cinelândia. A greve, no entanto, teve baixa adesão.

A PM ameaçou expulsar os grevistas e esfriou o movimento. Só na sexta-feira, pelo menos 20 PMs foram presos e 129 que trabalham no interior do Estado foram indiciados. Em relação ao Corpo de Bombeiros, 123 guarda-vidas haviam sido presos por faltarem ao serviço.

    Leia tudo sobre: grevebombeirosPMs

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG