PM volta atrás e autoriza evento religioso no Aterro do Flamengo

Corporação havia vetado o culto mas fez uma série de exigências. Ato começará às 9h desta quinta-feira

iG Rio de Janeiro |

A Polícia Militar do Rio de Janeiro autorizou nesta quarta-feira (20) a realização de um evento religioso para a manhã de quinta-feira (21) no Movimento dos Pracinhas, no Aterro do Flamengo, na zona sul do Rio de Janeiro. O culto começará às 9h e tem previsão para ser encerrado às 14h.

Ontem, a corporação havia divulgado uma nota informando que não deu aval para o culto sob alegação de que os organizadores não cumpriram com diversas determinações previstas na Resolução 13 do Decreto 39.355 da Secretaria de Segurança Pública, que regulamenta a  a atuação conjunta de órgãosde segurança pública para a realização de eventos.

A corporação argumentou na ocasião que, no ano passado, um evento religioso semelhante realizado na Enseada de Botafogo reuniu 1 milhão de pessoas e causou inúmeros transtornos à cidade, principalmente aos bairros de Botafogo, Flamengo, Urca, Copacabana, Glória, Catete e Centro, que tiveram suas ruas totalmente congestionadas resultando em várias reclamações, críticas e ainda uma ação pública ajuizada no Ministério Público Estadual.

Série de exigências

Hoje, a postura mudou. Em uma audiência com o comando do 2º Batalhão da Polícia Militar (Botafogo), os organizadores assinaram um termo de compromisso se comprometendo a cumprir as determinações exigidas pela Secretaria de Segurança.

De acordo com a pasta, a organização se comprometeu em apresentar o plano de instalação de geradores de energia, plano de incremento de transporte de massa, cópia do plano de atendimento médico emergencial, com a criação de postos médicos com ambulância, solicitação de implantação pelo órgão técnico de um corredor viário que possibilite o deslocamento de viatura de serviço, ambulância, policiais e outras instituições autorizadas.

Pelo termo, os responsáveis terão também que apresentar cópia do compromisso de implantação de plataforma de observação pelos promotores do evento, após analise e indicação pela PM e cópia de planejamento visando à implantação de sistema de monitoramento local, para eventos com público superior a 20 mil pessoas.

Na noite de ontem, a Prefeitura do Rio de Janeiro informou que não via problema na realização do culto e que, inclusive, colocaria órgãos à disposição, como a CET-Rio (Companhia de Engenharia de Tráfego), Guarda Municipal e Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana)

    Leia tudo sobre: evento religiosozona sulRio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG