PM investiga entrega de 2.600 latas de cerveja em prisão da corporação

Oficial de dia que autorizou entrada de carga foi preso e poderá ser expulso

iG Rio de Janeiro |

Pablo Jacob / Agência O Globo
Latas de cerveja empilhadas em pátio do Batalhão Especial Prisional
A Corregedoria da Policia Militar do Rio de Janeiro abriu uma sindicância para investigar a entrega de 2.600 latas de cerveja no final da tarde de domingo (23) no Batalhão Especial Prisional (BEP) da corporação, em Benfica, zona norte da capital fluminense. A unidade abriga PMs e ex-PMs acusados de crimes.

Leia também: Cabral anuncia construção de presídio exclusivo para PMs condenados

Ao saber da ocorrência, o corregedor-geral da Polícia Militar, coronel Waldyr Soares Filho, determinou que policiais da 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DJPM) fossem ao local. Lá, os agentes encontraram as latas dentro de uma Fiat Fiorino, estacionada no pátio interno do batalhão prisional.

De acordo com a PM, o oficial de dia que permitiu a entrada do veículo na unidade foi preso e vai ter que prestar esclarecimentos ao Conselho de Justificação, órgão que define se o policial poderá ou não permanecer na corporação. A decisão vai para a análise do comandante-geral da PM, que dará a palavra final.

Por causa da entrega das latas de cerveja, um Inquérito Policial Militar (IPM) também foi aberto pela corporação. A PM tentará descobrir se há outros policiais envolvidos no episódio. O motorista da Fiat Fiorino disse não saber a quem pertencia a entrega. Para a corregedoria, a encomenda pode ter sido feita por militares presos para uma festa não autorizada ou para uso semanal.

Mudança de endereço

Em setembro, o secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame ordenou a mudança do Batalhão Especial Prisional (BEP) para um local mais seguro. A determinação aconteceu após a veiculação na imprensa de fotos da festa de aniversário do filho de um dos detentos realizada no passado dentro do BEP.

No início de outubro, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral , anunciou a construção de uma unidade prisional exclusiva para PMs condenados pela Justiça no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste da capital fluminense.

"Vamos acabar com o Batalhão Especial Prisional (BEP), que se converterá a uma unidade prisional feminina. Teremos uma penitenciária exclusiva no Complexo de Gericinó, junto com as demais unidades. Estamos estudando o projeto para verificar o melhor espaço, que pode ser inaugurado em mais ou menos um ano", disse Cabral, na ocasião.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG