PM expulsa acusados de cobrar propina no caso Rafael

Determinação do comandante da PM deve sair nesta quarta-feira publicada no Boletim Interno da corporação

AE |

selo

A Polícia Militar (PM) vai expulsar os dois agentes acusados de cobrar R$ 10 mil de propina para liberar o estudante Rafael Bussamra, que confessou ter atropelado e matado Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, em julho. A determinação do comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, deve sair nesta quarta-feira publicada no Boletim Interno da corporação.

O inquérito da PM concluiu que o cabo Marcelo Bigon e o sargento Marcelo Leal "violaram a ética e o dever policial". Segundo Duarte, "os dois não possuem os requisitos indispensáveis à condição de policial militar, pois divorciaram-se dos ensinamentos que lhe foram ministrados em suas formações acadêmicas".

O inquérito apurou que de fato houve a abordagem ao veículo conduzido por Bussamra minutos depois do atropelamento do jovem e confirmou ainda que os dois fizeram deslocamentos não autorizados, de acordo com as informações colhidas pelo sistema de GPS do Centro de Comando e Controle. Os dois já foram denunciados à Justiça Militar por corrupção passiva.

    Leia tudo sobre: PMcaso rafael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG