Soldado teria disparado tiros contra veículo; atleta fugiu do local do acidente

Um policial militar foi preso após um acidente de trânsito no final da madrugada deste domingo (30) na Estrada do Catonho, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio. De acordo com a Polícia Civil, a ocorrência teve início após uma batida de carro envolvendo o ex-jogador do Flamengo Everton Silva, de 22 anos.

Segundo depoimentos ouvidos pela polícia, o veículo conduzido pelo atleta – um Chevrolet Captiva – colidiu contra o carro de um atendente de telemarketing – um Palio – depois que o jogador tentou realizar uma ultrapassagem em alta velocidade. O lateral direito tinha saído de uma casa noturna localizada na região quando houve o acidente.

Os passageiros do Palio teriam tentado acionar a polícia, mas foram impedidos por Everton Silva. O atleta teria perguntado se eles não estavam o reconhecendo e pediu para que a polícia não fosse chamada porque estava dirigindo sem habilitação. Durante a conversa, outro carro – também um Palio – que seguia pela via bateu na traseira do automóvel do atendente de telemarketing.

No veículo, estavam dois policiais militares. O condutor, o soldado Bruno Martins Santos, de 24 anos, teria se alterado com a situação e perguntado de quem era o carro. Assustados, os passageiros não responderam. Irritado, o PM atirou três vezes contra o carro e retirou o aparelho de som com a justificativa de que o equipamento iria ressarcir seu prejuízo.

Constrangido com o abuso de poder, um dos passageiros do carro dirigido por Everton Silva chamou a Polícia Militar. Quando os agentes chegaram com o reboque, o atleta foi embora. Agentes da Corregedoria da PM estiveram no local e levaram todos os envolvidos para a 33ª DP (Realengo).

O soldado Bruno Martins, lotado no 6º BPM (Tijuca), foi autuado pelos crimes de disparo de arma de fogo em local público, dano patrimonial e roubo qualificado. De acordo com a PM, o agente ficará detido no Batalhão Prisional, em Benfica, na zona norte da capital fluminense. O outro policial envolvido no acidente, Bruno de Carvalho, de 29 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela do Batan, foi liberado.

O ex-jogador do Flamengo foi intimado a comparecer à 33ª DP para prestar depoimento. Ele poderá ser indiciado por dirigir sem habilitação e fugir do local de acidente. A reportagem tentou entrar em contato com o advogado do atleta, mas não obteve retorno.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.