PM dá ultimato para traficantes e planeja ocupação

Comandante da PM diz que polícia não voltará atrás e tem equipamento suficiente para tomar o território

Anderson Ramos e Daniel Gonçalves, especial para o iG |

A Polícia Militar do Rio de Janeiro deu um ultimato aos traficantes refugiados no Complexo do Alemão, na zona norte da cidade, para que se rendam. O relações públicas da corporação, coronel Henrique Lima Castro, afirmou que a PM não deseja o confronto, mas está ordenando que os bandidos se entreguem.  Segundo ele, a polícia não voltará atrás e tem equipamento suficiente para tomar o território.

A PM informou que os criminosos têm que sair com as armas sobre a cabeça. A invasão ao Complexo pode acontecer a qualquer momento. O ponto de rendição será na rua Joaquim de Queiroz. Segundo o comandante da corporação, Mário Sérgio Duarte, os moradores vão ter um Natal de paz.

"A população, que há anos vem sendo escravizada pelo trafico de drogas, vai poder ter um Natal de paz. Dali (Vila Cruzeiro) não saímos mais", disse Duarte. De acordo com ele, a fuga de bandidos para o Complexo do Alemão acabou atraindo a polícia. Ele confirmou uma futura invasão, mas não deu prazos. "Sim, nós vamos ocupar o Alemão". O comandante disse ainda que está dando um prazo para os criminosos se entregarem saindo da favela com as mãos para cima e desarmados.

Anderson Ramos
Faustão (com curativo no braço) e Branquinho (com curativo na barriga) foram baleados e presos
Em meio ao clima tenso, o coordenador da ONG Afroreggae, José Júnior, chegou por volta do meio-dia ao Complexo do Alemão, para ajudar na mediação do confronto. Ele ingressou na comunidade acompanhado por três moradores e um veículo blindado das Forças Armadas. Ele dirigiu-se à favela da Grota, pela estrada do Itararé, e não falou com a imprensa, mas teria ido, como mediador, tentar negociar a rendição dos traficantes.

Suspeitos

A possibilidade de abertura do diálogo foi aberta após militares balearem dois homens suspeitos de fazerem parte do tráfico de drogas na favela da Vila Cruzeiro, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro. Eles foram encaminhados para o Hospital Getúlio Vargas, no mesmo bairro, e já foram liberados. Ambos foram encaminhados para o 22º BPM (Maré) e apresentados à imprensa.

Segundo o relações públicas do Exército, coronel Zanon, os suspeitos tentaram furar o bloqueio realizado pelos militares. Um dos feridos, identificado como Tassio Fernando Faustino, conhecido como Branquinho, já foi chefe do tráfico de drogas de Manguinhos, na zona norte, e atualmente era o terceiro na hierarquia da Vila Cruzeiro. O outro é Ricardo Severo, vulgo Faustão, segundo homem no poder do comércio de entorpecentes da mesma favela.

Também na manhã deste sábado, os militares apreenderam US$ 36 mil na mochila de uma criança em um dos acessos ao Complexo do Alemão. A PM alertou aos militares que bandidos estão usando mulheres e menores de idade para retirar das favelas armas, drogas, dinheiro e munições. Até idosos estão sendo revistados.

Balanço

 A PM também divulgou o balanço das operações na Vila Cruzeiro na sexta-feira (26). Foram apreendidos materiais como antibóticos, antiinflamatórios, remédios de tarja preta, luvas, seringas e um respirador.

A polícia encontrou o carimbo de um suposto medico veterinário com o nome de David J. F. Rocha. A investigação vai apontar se esse profissional realmente existe e se tem envolvimento com o tráfico de drogas. A PM apreendeu também 39 tabletes de maconha, 111 sacolés da mesma droga, 15 tabletes de cocaína e 232 tabletes do entorpecente.

Bloqueios

A série de ações comandadas pelo Exército neste sábado foi aberta com uma série de bloqueios em vias de acesso ao Complexo do Alemão. Os militares restringiram o acesso longo da avenida Itaoca, da Estrada do Itararé e da rua Uranos, com o objetivo de impedir a fuga de traficantes. Os militares pararam carros e motos e, principalmente, caminhões baú de lixo. Por volta das 7h30 foram ouvidos tiros no interior do Morro do Adeus, que faz parte do Complexo.

Anderson Ramos
Foram apreendidas seis metralhadoras, quatro espingardas, uma bomba caseira, duas balanças de precisão, além de material médico
Três pessoas foram detidas em uma das saídas do Alemão, mas os motivos não chegaram a ser detalhados. Um momento de tensão foi quando os militares viram um homem armado em uma moto, mas ao pará-lo verificaram que se tratava de um PM. Um tanque urutu também reforçou a operação e passou em ronda pela Estrada do Itararé. Na avenida Brasil, foram organizadas patrulhas nos bairros de Bonsucesso e Manguinhos, na zona norte.
Reprodução Google Maps
Ponto indicado pela polícia para rendição dos traficantes no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG