Petrobras pede que helicópteros do mesmo modelo do sumido não decolem

Companhia divulgou o nome do co-piloto que estava na aeronave

AE |

selo

A Petrobras recomendou que permaneçam em solo todos os helicópteros Agusta AW 139, mesmo modelo do que desapareceu na tarde de ontem, a 100 km do litoral de Macaé, no norte fluminense. A empresa marcou para esta tarde uma reunião com representantes da empresa fabricante do helicóptero, que virão da Itália.

Ainda de acordo com a estatal, as buscas aos quatro ocupantes do helicóptero prefixo PR-SEK foram reforçadas. Ao todo, seis aeronaves, duas delas da Força Aérea Brasileira (FAB), participam da operação. Dezesseis embarcações prosseguem nas buscas, quatro delas equipadas com robôs submarinos.

 O helicóptero transportava Ricardo Leal de Oliveira, de Rio das Ostras (RJ), auxiliar técnico de planejamento da empresa Engevix; e João Carlos Pereira da Silva, de Campos dos Goytacazes (RJ), técnico de inspeção da empresa Brasitest.

Os outros ocupantes eram o piloto Rommel Oliveira Garcia, do Rio de Janeiro (RJ), e o co-piloto Lauro Pinto Haytzann da Sênior Táxi Aéreo, de São Paulo (SP), cujo nome ainda não tinha sido divulgado a pedido da família.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG