Perícia em parapente ficará pronta em dez dias

Polícia procura por câmera que teria registrado voo e trabalha com hipótese de negligência de instrutor

iG Rio de Janeiro |

A perícia no parapente usado pela nutricionista Priscila Boliveira, de 27 anos, ficará pronto em dez dias, de acordo com policiais da 15ªDP (Gávea) que investigam o caso. Pricila, que é irmã do ator da TV Globo Fabrício Boliveira , morreu após cair de um altura de 15 metros durante um voo duplo na praia de São Conrado, na Zona Sul do Rio, no último domingo. O instrutor nada sofreu.

Há a possibilidade de uma das fivelas não ter sido fechada adequadamente, o que apontaria o ato de imprudência do instrutor, que poderá ser indiciado por homicídio culposo. 

Leia também : Irmã de ator de “Tropa de Elite 2” morre em acidente de parapente no Rio

No momento, a polícia irá chamar novamente o instrutor para depor pois, segundo amigos de Priscila, havia uma câmera no parapente que não foi apresentada na delegacia.

Ainda de acordo com os policiais, em um depoimento preliminar, o instrutor de voo contou que Priscila hesitou em pular e chegou a tocar na rampa de velocidade com os pés, mas em uma segunda tentativa, o voo foi concretizado. No entanto, em dois minutos, o parapente perdeu a estabilidade e caiu na areia da praia.

Pista fechada em luto

O Clube São Conrado de Voo Livre, que realizou o voo de parapente que terminou com a morte de Priscila, ficará fechado por três dias, de luto. Em nota, o clube disse que o acidente foi uma fatalidade. Segundo o Clube São Conrado, os instrutores recebem rigoroso treinamento, são experientes e cumprem normas de segurança.

    Leia tudo sobre: parapentevooacidente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG