Obras do Centro Cultural João Nogueira são iniciadas no Rio

Espaço será construído onde funcionava a casa de espetáculos Imperator

iG Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio iniciou nesta terça-feira (8) as obras do Centro Cultural João Nogueira, no Méier, zona norte da capital fluminense. O espaço será construído no local onde funcionava a casa de espetáculos Imperator. Segundo a prefeitura, mais de R$ 21 milhões serão investidos na construção do centro cultural que contará com duas salas de cinema, teatro, sala de exposições, livraria e bistrô.

Na cerimônia de início das obras, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes assinaram um acordo de cessão do terreno que pertencia ao Estado e passa a ser do Município. “É uma alegria estar aqui no Méier devolvendo esse espaço tão importante para a cultura do subúrbio carioca e da cidade”, disse Paes.

Beth Santos
Cabral, Paes e Diogo Nogueira na cerimônia de início das obras do centro cultural
O local, que já abrigou também o maior cinema da América Latina, será totalmente reformulado e terá, inclusive, um local permanente destinado ao “Acervo João Nogueira”. O novo prédio terá três andares e um terraço verde de 1.200 metros quadrados com um restaurante. A inauguração está prevista para 20 de janeiro do ano que vem, dia de São Sebastião, padroeiro do Rio, com show do cantor Diogo Nogueira.

A viúva do cantor e compositor João Nogueira, Ângela Maria Nogueira, ressaltou a importância da construção do novo espaço que leva o nome do marido. “Estão resgatando o Méier através desse centro cultural. E essa homenagem é muito justa porque o João nasceu e foi criado aqui e viveu todas as coisas nesse bairro”, avaliou.

O Imperator foi aberto ao público em 1954 como cinema, com capacidade para 2.400 pessoas. Durante décadas foi uma referência na cidade, mas, em 1986, com o declínio da frequência às salas de cinema de rua, o Cine Imperator fechou as portas.

Cinco anos mais tarde, o espaço foi reaberto como casa de shows e espetáculos para receber grandes nomes da música nacional e internacional. Pisaram em seu palco Bob Dylan, Tina Turner, Stevie B., Roberto Carlos, Tom Jobim, Caetano Veloso e Barão Vermelho, entre outros. Em 1996, o Imperator foi fechado definitivamente.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG