'O barracão acabou, mas não o nosso sonho', diz patrono da Grande Rio

Mais de três mil fantasias e sete carros alegóricos foram destruídos no incêndio

Fábio Grellet e Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Agência O Globo
Cerca de 80 bombeiros foram acionados para conter as chamas na Cidade do Samba

Desolado ao chegar à Cidade do Samba, o presidente da Grande Rio, Hélio Ribeiro de Oliveira, disse à imprensa que o incêndio ocorrido na manhã desta segunda-feira (7) destruiu “absolutamente tudo” que havia no barracão da agremiação de Duque de Caxias. Ele informou que mais de três mil fantasias e sete carros alegóricos, entre outros adereços, estavam no local.

“A história da Grande Rio estava dentro do barracão, mas o samba não queimou e a gente vai desfilar ainda que seja de camiseta”, disse o dirigente.

O chefe do ateliê da Grande Rio, Robson Pantoja, relatou que cerca de 10 pessoas estavam no quarto andar do barracão quando o incêndio teve início. Um dos presentes se desesperou e não conseguiu descer as escadas. Amedrontado com o fogo, o homem se jogou em cima de um carro alegórico. Como a alegoria era revestida de espuma, ele não ficou ferido.

Otimista, o patrono da escola de samba, Jayder Soares, disse que o incêndio não vai tirar a alegria da escola na Marquês de Sapucaí. “Vamos juntos desfilar do jeito que for. O barracão acabou, mas não o nosso sonho”, avaliou.

A Grande Rio vem este ano com o enredo “Y-Jurerê Mirim – A Encantadora Ilha das Bruxas”, homenageando a cidade de Florianópolis, capital de Santa Catarina. A escola será a quarta a desfilar na segunda-feira de carnaval.

    Leia tudo sobre: carnaval riogrande riocidade do sambaincêndio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG