Nova chefe da Polícia Civil do Rio anuncia mudanças na cúpula

Delegada diz que instituição será comandada pelo ¿Estilo Martha¿, baseado em metas, projetos e resultados

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Futura Press
Martha Rocha com os membros da cúpula: Zettermann, Caldas, Velloso e Emiliano (esq. para dir.)

Nova chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro , a delegada Martha Rocha anunciou nesta quarta-feira (16) os membros que irão compôr a cúpula da instituição. Sérgio Caldas, ex-diretor do Departamento de Polícia da Capital, assume a subchefia administrativa; Fernando Velloso deixa a 14ª DP (Leblon) para comandar a subchefia operacional; e Luís Zettermann, que estava na Secretaria Executiva de Promoções, fica à frente da chefia do gabinete da Polícia Civil.

De acordo com a delegada, os três foram escolhidos por serem profissionais experientes, com comprometimento e seriedade. “Todos os indicados construíram, a meu exemplo, uma carreira na Polícia Civil”, disse Martha Rocha, sobre os novos membros da cúpula.

O atual corregedor da Polícia Civil, Gilson Emiliano, continua no posto. “Ele é indicado para o cargo, tem experiência na área disciplinar”, ressaltou a chefe da Polícia Civil. “O mesmo entendimento que tive para os subchefes [experiência, comprometimento e seriedade], tive para a permanência de Gilson”, completou.

As mudanças nas direções dos quatro departamentos da Polícia Civil [Capital, Interior, Baixada e Especializada] não foram anunciadas, mas devem ocorrer amanhã. “Vou conversar com os subchefes e estabelecer alguns nomes”, disse. “Não temos nada decidido, mas faremos mudanças”.

“Estilo Martha”

Segundo a delegada, sob seu comando, a Polícia Civil fluminense irá funcionar com base em metas, projetos e resultados. O método foi classificado por ela como “Estilo Martha”. “Quero fortalecer as delegacias distritais. Elas têm que ser o retrato da Polícia Civil e espero que seja o melhor retrato possível”, afirmou.

O programa da Dedic (Delegacia de Dedicação Integral ao Cidadão), criado durante o comando de seu antecessor, Allan Turnowski , será mantido e ampliado. “Quero levá-lo para todas as delegacias distritais”, disse. O programa possibilita, entre outras coisas, que vítimas de crimes façam o registro de ocorrência em suas residências. Hoje o Dedic está instalado em 14 das mais de 100 delegacias existentes.

Assumindo a instituição em meio a uma crise, Martha disse que recebeu com surpresa a notícia do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, de que iria assumir o novo posto. “Não estava pautado na minha vida que um dia eu fosse ser chefe da Polícia Civil”, avaliou a delegada, torcedora do Vasco da Gama, filha de portugueses, católica fervorosa – “de ir à missa todo domingo” – e devota de Nossa Senhora da Conceição.

“Já rezei para ela hoje. Fui à igreja antes de vir pra cá e recebi uma benção especial do padre”, disse, ostentando uma medalha com a imagem de Nossa Senhora no peito. “Acho que o Estado é laico, é claro. Mas isso não impede que eu vá lá ter uma conversa especial com Nossa Senhora”, finalizou. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG