No Rio, Governo e Prefeitura anunciam obras em favelas pacificadas

Primeira comunidade a receber obras será o Morro da Providência, localizada na região portuária da cidade do Rio de Janeiro

Agência Brasil |

O governo do estado do Rio e a prefeitura do Rio de Janeiro anunciaram nesta quinta-feira (9) um mutirão que vai reunir setor privado, organizações não governamentais, associações de moradores, empresas, entidades do Poder Público e unidades de Polícia Pacificadora (UPP) para implementar ações de serviços básicos em comunidades antes dominadas pelo tráfico.

A estratégia do governo é promover até dezembro, por meio da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (Seasdh), a implantação da UPP Social, que fará das UPPs órgãos responsáveis por gerenciar localmente as ações de desenvolvimento socioeconômico e de infraestrutura nas comunidades.

De acordo com a Seasdh, a primeira favela a receber o projeto será a do Morro da Providência, no bairro da Saúde, zona portuária. As próximas serão as da Cidade de Deus, na zona oeste, e do Morro do Borel, na zona norte.

Segundo a subsecretária de Ações Integradas no Território, Sílvia Ramos, depois da implantação da sétima UPP no Morro da Providência, em abril deste ano, a favela mais antiga do Brasil foi escolhida como laboratório para o primeiro mutirão do gênero acompanhando os benefícios e investimentos trazidos pelas obras de revitalização da zona portuária.

Ela destacou que a iniciativa visa a compensar a ausência do Estado nas áreas sob domínio do tráfico de drogas e admitiu que a chegada dos serviços públicos está atrasada.

“A ideia da UPP Social é recompor as presenças que faltaram ao longo desses anos e tentar compensar o tempo perdido. As favelas do Rio, hoje, têm o menor PIB [Produto Interno Bruto], o menor IDH [Índice de Desenvolvimento Humano], os menores índices de escolaridade, menores índices de empregabilidade etc. Agora que nós retiramos as armas, não temos mais razão para justificar que as favelas não sejam uma continuação do resto da cidade”, disse.

Para fomentar o comércio no Morro da Providência, a Secretaria Estadual de Turismo, Esporte e Lazer anunciou que fará, com o auxílio do Batalhão de Polícia Pacificadora, um levantamento sobre a vocação turística da região. A gerente de projetos da Coordenadoria de Planejamento e Projetos da Secretaria Municipal de Habitação, Andréa Cardoso, destacou que a prefeitura irá investir nos próximos três anos R$ 119 milhões em obras de urbanização.

O presidente da Associação de Moradores do Morro da Providência, Manuel Gama, disse que o projeto de integração em regime de mutirão é benéfico para a comunidade, mas lembrou que a maior demanda da população é por soluções para os serviços de luz, saneamento básico e coleta de lixo. “Se a UPP Social vai resolver, eu não sei. Mas que esse método é o mais correto e tem uma tendência para atender as demandas, eu acho que não tem outro caminho a não ser esse”.

    Leia tudo sobre: favelaspacificaçãoobras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG