Negada prisão de suspeito de matar menino no Rio

TJ nega o pedido de prisão do suspeito de ter disparado uma pistola de cravar pinos em criança de seis anos

AE |

selo

A Justiça do Rio de Janeiro negou o pedido de prisão temporária do suspeito de ter disparado a pistola de cravar pinos que atingiu e matou um menino de seis anos. Segundo a assessoria da Polícia Civil, o pedido foi negado na noite desta segunda-feira (4) pela juíza de plantão na 1.º Vara Criminal. Ela considerou que o disparo foi acidental. O suspeito deve responder em liberdade por homicídio culposo, isto é, quando não há intenção de matar. 

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, o suspeito compareceu na noite de ontem ao 6.º Distrito Policial (DP), em Cidade Nova, na região central do Rio, e prestou depoimento. Após ouvir todas as testemunhas, a polícia decidiu pedir a prisão temporária dele. O caso é investigado pelo 32º DP, em Taquara. A polícia aguarda os laudos do Instituto Médico-Legal (IML) e do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) para finalizar o inquérito.

A criança morreu na noite de sábado, após ser atingida pelo disparo da pistola de cravar pinos no gesso em Curicica, na zona oeste do Rio . O dono da pistola, vizinho do menino, foi responsável pelo disparo. O garoto chegou a ser encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Taquara, também na zona oeste, mas não resistiu aos ferimentos.

    Leia tudo sobre: VIOLÊNCIACRIANÇA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG