Mulher de 21 anos morre após ter 90% do corpo queimado pelo próprio chefe

Suspeito do crime foi preso. Ele é gerente da padaria onde vítima trabalhava e assediava a jovem

iG Rio de Janeiro |

Bruno Gonzalez/Agência O Globo
Maria de Fátima Iloia foi atacada na última quinta-feira no morro do Borel, na Tijuca
Uma jovem de 21 anos morreu na última segunda-feira (8) no Hospital do Andaraí, na zona norte do Rio de Janeiro, quatro dias após ter cerca de 90% do corpo queimado no morro do Borel, na Tijuca, na mesma região.

Segundo a Polícia Civil, o principal suspeito do crime foi preso hoje em São João de Meriti, cidade da Baixada Fluminense. Ele é gerente da padaria onde a vítima, identificada como Maria de Fátima Iloia, trabalhava como balconista.

O acusado negou o crime. Ele presta depoimento na delegacia da Tijuca (19ª DP).

Rendida e amarrada

De acordo com as investigações, o suspeito era apaixonado por Maria de Fátima. A jovem, no entanto, tinha namorado e não queria nada com o gerente da padaria.

Na última quinta-feira (4), Maria de Fátima foi rendida em sua casa, amarrada e teve o corpo queimado.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG