MP se diz contrário a regime semiaberto para Salvatore Cacciola

Ministério Público do Rio de Janeiro foi consultado pela Justiça para avaliar pedido de progressão de regime

Bruna Fantti, especial para o iG |

O promotor Fabiano Rangel Moreira, titular da 5° Promotoria de Justiça junto à Vara de Execução Penal, deu parecer contrário ao pedido da defesa de Salvatore Alberto Cacciola de progressão da pena para o regime semiaberto.

O ex-banqueiro está na penitenciária Pedrolino Werling de Oliveira, na zona oeste do Rio de Janeiro, desde 2008, onde cumpre pena de 13 anos de prisão, em regime fechado, pelos crimes de peculato e gestão fraudulenta dos bancos Marka e FonteCinda.

Reprodução
Salvatore Cacciola está preso desde 2008 por crimes financeiros. MP deu parecer contrário a progressão de regime
De acordo com a assessoria do MP, o promotor se posicionou contrário ao pedido da defesa pois "o condenado por crime contra a administração pública só pode obter a progressão de regime se reparar o dano que causou ou devolver o produto do crime praticado, com acréscimos legais".

No entanto Cacciola não ressarciu os cofres públicos o montante de quase R$ 3 bilhões (valor atual) obtido por meio da gestão fraudulenta.

Além disso, o promotor levou em conta relatos de agentes da Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) que afirmam que Cacciola possui mau comportamento na prisão e se recusa a trabalhar.

A decisão sobre a possível progressão de regime será tomada pela juíza Roberta Barrouin Carvalho de Souza, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, ainda nesta semana.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG