MP desqualifica indiciamento do ex-chefe de polícia do Rio

Para promotor, não há comprovação de que Turnowski sabia da Operação Guilhotina

iG Rio de Janeiro |

Agência O Globo
O indiciamento do ex-chefe de polícia do Rio foi desqualificado pelo MP
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) desqualificou nesta segunda-feira (28) o indiciamento do ex-chefe da Polícia Civil do Rio, delegado Allan Turnowski, pelo crime de violação de sigilo profissional. Para o promotor de Justiça Homero das Neves Freitas Filho, não há comprovação de que o acusado sabia da Operação Guilhotina , da Polícia Federal, e nem que a interferência dele tenha favorecido a fuga do inspetor Christiano Gaspar Fernandes, um dos procurados, e de seu pai.

Como o MP-RJ entendeu que não houve dano causado à administração pública, o caso foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim), voltado para causas menores, onde penas podem ser revertidas em trabalhos comunitários.

O indiciamento feito pela Polícia Federal teve com base uma conversa telefônica gravada em novembro de 2010 com autorização judicial entre Turnowski e Gaspar Fernandes. Na escuta, o ex-chefe de polícia entrou em contato com o inspetor para pedir que um preso fosse levado à delegacia. O delegado achava que o telefone do bandido estava grampeado, e não a linha do policial.

Turnowski chegou a ser convocado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre as acusações. Após seu depoimento, ele desqualificou o indiciamento aplicado pela Polícia Federal. Segundo o delegado, a medida foi tomada sem que constasse nos autos uma declaração do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame.

“Gostaria que vocês perguntassem ao secretário de Segurança Pública se ele me contou sobre a operação. Se ele disser que me comunicou, vou responder perante a Justiça. De qualquer maneira, tenho certeza de que esse juízo de valor do delegado, que eu respeito e que é uma autoridade séria, não passa de um primeiro crivo do Ministério Público e da Justiça”, disse na ocasião.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG