MP apura morte de idosa que ocorreu após falta de transferência

Órgão já investigava falta de leitos hospitalares

iG Rio de Janeiro |

A Promotoria de Justiça de Saúde de Nova Iguaçu, que atua na Tutela da Saúde Pública da Baixada Fluminense, vai apurar a morte da aposentada Magda Lúcia dos Santos , 61 anos, que ocorreu na madrugada do último domingo, após cinco dias à espera de uma vaga em algum Centro de Tratamento Intensivo (CTI) no estado do Rio de Janeiro.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) já vinha investigando o problema da falta de leitos hospitalares na região e a Promotoria de Justiça de Saúde da Capital apurava a mesma situação junto à Central de Regulação de Leitos do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

O Superintendente da Central, o médico Carlos Alberto Chaves, foi convidado para uma reunião, na próxima terça-feira (26), com o Procurador-Geral de Justiça em exercício, Carlos Antonio Navega, e com Promotores de Justiça da Capital e da Baixada Fluminense que atuam na Saúde Pública. Eles irão discutir os principais problemas detectados nas investigações promovidas pelo MPRJ.

Pacientes conseguem transferência

Após a morte da idosa, no último final de semana, a secretaria municipal de Saúde de São João de Meriti transferiu, nesta segunda-feira (18), sete pacientes internados em unidades de atendimento do município que aguardavam vagas em CTI para os hospitais do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu e Duque de Caxias.

    Leia tudo sobre: idosactimprj

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG