Morro dos Cabritos não vai precisar de reflorestamento

Vegetação rasteira da região se recupera sozinha e mais rapidamente

Daniel Gonçalves, especial para o iG |

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente chegou a conclusão de que não será necessário reflorestar o Morro dos Cabritos, zona sul do Rio de Janeiro, que teve uma área igual a 4 campos de futebol queimada por um incêndio na noite de sábado. A vegetação na região afetada, no costão das rochas, é rasteira e se recompõe sozinha. Se o fogo tivesse alcançado a mata densa no alto do morro então seriam necessários aproximadamente 15 anos de recuperação.

Segundo o Secretário Municipal de Meio Ambiente e vice-prefeito da capital fluminense, Carlos Alberto Muniz, foram queimadas bromélias, gramíneas e cactáceas, por isso não será preciso um trabalho emergencial de reflorestamento. “Assim que acabar essa temporada de seca e começarem as chuvas e a chegada da primavera, a vegetação começa a se recompor”, garantiu Muniz.

Investigações buscam culpados

A titular da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, Juliana Emerique, disse que já começou a ouvir testemunhas para tentar identificar possíveis responsáveis pelo incêndio. Há suspeita de que o fogo tenha sido provocado por um balão.

O incêndio, que começou na noite de sábado, deu muito trabalho ao Corpo de Bombeiros para ser controlado. Apenas no final da tarde de domingo é que os últimos focos foram apagados. Foram usados dois helicopteros para controlar as chamas, que podiam ser vistas de bairros próximos como o Jardim Botânico e a Gávea, além da própria Lagoa Rodrigo de Freitas.

Ninguém ficou ferido, mas os moradores chegaram a temer que as chamas atingissem as casas e prédios da região. Alguns saíram de suas residência na madrugada. O trânsito nas imediações do incêndio ficou congestionado por toda a noite por causa do trabalho dos bombeiros.

    Leia tudo sobre: rio de janeiroincêndiomorro dos cabritos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG