Morre homem atropelado por ex-coordenador da Lei Seca no Rio

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Alexandre Felipe pode ser indiciado por homicídio

Agência Brasil |

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou neste sábado o diagnóstico de morte encefálica de Erminio Cosme Pereira, de 58 anos, atropelado na noite de quinta-feira (25) pelo subsecretário estadual de Governo da região metropolitana, Alexandre Felipe Mendes. Pereira estava internado no Hospital Estadual Azevedo Lima.

Segundo a secretaria, profissionais do Programa Estadual de Transplantes (PET) acompanham todo o processo desde a confirmação do diagnóstico e aguardam uma posição da família sobre a possibilidade de doação de órgãos.

Ontem, o governo do Rio admitiu, por meio de nota oficial, que Alexandre Felipe havia atropelado uma pessoa em Niterói, na região metropolitana do Rio, e que “caberia a ele responder como todo cidadão comum”.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, mais cinco pessoas também foram atropeladas no acidente. Testemunhas afirmaram que o subsecretário, que integrou a equipe de coordenação da Operação Lei Seca até fevereiro deste ano, estava visivelmente alcoolizado quando atropelou os pedestres. Ele passou por exame toxicológico para comprovar se houve ou não abuso do uso de álcool.

O caso é investigado pela 81ª Delegacia de Polícia, em Itaipu. De acordo com o delegado Carlos Alexandre Leite Justiniano, o subsecretário poderá ser indiciado por homicídio.

Parentes e amigos das vítimas do atropelamento devem fazer na tarde de hoje uma manifestação na região oceânica de Niterói, onde ocorreu o acidente.

    Leia tudo sobre: Lei Secaatropelamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG