Médicos são denunciados pela morte da mãe de S.

MP do Rio denuncia equipe médica pela morte de Bruna Bianchi, mãe de garoto cuja guarda foi obtida pelo pai biológico nos EUA

AE |

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciou nesta segunda-feira por homicídio culposo os médicos Nadir Farah e Eduardo Pessoa Farah - pai e filho - pela morte da estilista Bruna Bianchi, mãe do menino S., cuja guarda foi obtida pelo pai biológico, o americano David Goldman, em dezembro do ano passado.

Bruna morreu em agosto de 2008 hora depois do parto de sua filha Clara, num hospital da zona sul do Rio.

Além dos dois ginecologistas e obstetras, também foram denunciados os médicos Marcus Vinicius Guedes Werneck, Izabel de Araújo Nogueira e Sérgio de Oliveira Monteiro, que faziam parte da equipe e assistiram o parto. De acordo com a certidão de óbito, Bruna morreu de hemorragia pós-parto, atonia e rotura uterina.

S., que completa nesta segunda-feira dez anos, foi para os Estados Unidos morar com o pai americano, depois de longa disputa judicial com a família de Bruna. A mãe da estilista, Silvia Bianchi, informou por meio de seus advogados que tem sido impedida de falar com o menino por telefone há mais de dois meses. Ela rogou que o pai de S. permita que ela fale com o neto, para que a família brasileira, inclusive a irmã mais nova dele, possam felicitá-lo pelo aniversário.

    Leia tudo sobre: caso Goldman

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG