Médicos acusados de erro são indiciados no Rio de Janeiro

Bebê morreu depois de ter a perna direita queimada por um bisturi eletroeletrônico e amputada

AE |

selo

Os responsáveis pelo atendimento à recém-nascida Kamyle Victoria Nascimento Souza, que teve a perna direita amputada e acabou morrendo , na última quinta-feira, 5, no centro cirúrgico do Instituto Fernandes Figueira (IFF), no Rio de Janeiro, foram indiciados como autores do crime de lesão corporal culposa.

O bebê teve a perna direita queimada por um bisturi eletroeletrônico durante uma cirurgia, o que tornou necessária a amputação. De acordo com o delegado responsável, Pedro Paulo Pontes Pinho, os peritos criminais do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) não encontraram defeito no funcionamento do bisturi e nenhuma irregularidade nas instalações do centro cirúrgico. A menina nasceu no dia 21 de fevereiro com quadro de hidroanencefalia grave e precisou passar por uma cirurgia.

    Leia tudo sobre: bebêmorteperna amputadamédicosRio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG