Marcha da Liberdade reúne 1.500 pessoas no Rio

Protesto aconteceu de forma pacífica na orla da Praia de Copacabana

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

A Marcha da Liberdade , movimento criado após repressão à Marcha da Maconha, aconteceu de forma pacífica na tarde deste sábado (18) na orla da Praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 1.500 pessoas compareceram à manifestação.

Leia também: Em Brasília, Marcha das Vadias supera Marcha da Liberdade

A marcha acontece depois que o Supremo Tribunal Federal autorizou a realização de passeatas que defendem o debate sobre a descriminalização da maconha . Para o secretário estadual do Ambiente Carlos Minc, a passeata amplia o debate sobre a possibilidade de legalização das drogas.

Futurapress
Manifestantes defendem a legalização da maconha no Rio
“Estive presente em todas as passeatas da maconha e quem diria que o Supremo nos propiciaria finalmente essa suprema alegria. É hora de revermos as políticas públicas sobre drogas e discutir com a sociedade o assunto”, disse o secretário.

A passeata também levantou bandeira para outros assuntos polêmicos, como o casamento civil entre homossexuais e a legalização do aborto, além de críticas ao novo Código Florestal e à crise do Corpo de Bombeiros no Rio.

“Os maconheiros apóiam os bombeiros”, “Sai do armário. Vem Bolsonaro”, “Maconha não mata neurônio, cerveja mata” e “Maconha medicinal, uma novidade medicinal há cinco mil anos” eram algumas das frases dos manifestantes.

Muitas pessoas na Praia de Copacabana não faziam ideia do que se tratava a marcha. Outros não apoiavam o tema. “Eles confundem liberdade de expressão com crime. Fazer apologia às drogas é um crime à saúde pública”, disse uma dona-de-casa que preferiu não se identificar.

Três viaturas da PM acompanharam o manifesto que teve início no Posto 6 e seguiu até o final da Praia do Leme, ocupando o calçadão e apenas uma faixa de trânsito da Avenida Atlântica. Durante o protesto, os agentes ouviram gritos, como “Ei, polícia! Maconha é uma delícia!”.

Agência Estado
Marcha da Liberdade reuniu cerca de 1.500 pessoas na Praia de Copacabana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG