Manifestação popular interrompe estrada em Teresópolis

População protestou contra novos deslizamentos de terra após temporal que deixou cinco mortos e centenas de desabrigados

iG Rio de Janeiro |

Uma manifestação popular de moradores de Teresópolis interrompeu a pista no sentido Rio de Janeiro da RJ-116, no trecho entre Teresópolis e Além Paraíba, do km 72 ao km 78, na tarde deste domingo. A Polícia Militar e a Defesa Civil da cidade não deram estimativas de quantos participaram do protesto, em função dos novos deslizamentos e mortes por causa das chuvas na cidade.

Leia também: Chuva provoca ao menos cinco mortes em Teresópolis

A manifestação, segundo a PM, começou por volta das 15h30 e terminou em torno das 18h. Na sexta-feira, a cidade voltou a ser castigada com um temporal que deixou cinco mortos, um desaparecido, 15 feridos e 414 desabrigados. Em 2011, a Região Serrana do Rio foi palco da pior tragédia natural do País por causa das chuvas e deslizamentos de terra, que mataram cerca de 900 pessoas.

Leia também: Teresópolis tem domingo de sol após temporal e desabamentos

O governo estadual anunciou medidas para ajudar a Prefeitura local. Em nota oficial, o governador Sérgio Cabral anunciou apoio e ações imediatas por parte das secretarias de Estado de Defesa Civil (com reforço de homens e equipamentos do Corpo de Bombeiros); do Ambiente (máquinas do Inea); de Obras, que também disponibilizou máquinas; e de Saúde, mobilizada para atendimento aos moradores atingidos pelo temporal. A Assistência Social também foi acionada. No total, são sete retroescavadeiras, 16 caminhões, duas pás carregadeiras, três caminhões pipas e 120 homens do governo estadual atuando ao lado do contingente municipal.

Agência O Globo
Bairro Santa Cecília é um dos atingidos por deslizamentos fatais
"Colocamos toda a estrutura do governo à disposição do Prefeito Arley Rosa. Na manhã deste sábado, ele me pediu o apoio da Comlurb para a limpeza da cidade. O prefeito Eduardo Paes de imediato atendeu ao pedido. Em menos de uma hora, o Secretário Municipal de Conservação e Serviços Públicos do Rio, Carlos Roberto Osório, e a presidente da Comlurb, Ângela Nobrega Fonti, me garantiram a subida de máquinas, equipamentos e profissionais", afirmou o governador na nota.

A Prefeitura de Teresópolis informou que a Emop (Empresa de Obras Públicas do Estado), fará, a partir desta segunda-feira, um levantamento nas localidades de Pimentel, Rosário, Perpétuo e Vale da Revolta para traçar um modelo de ações preventivas nessas comunidades. “Faremos um trabalho integrado com a Prefeitura nessas áreas, de grande instabilidade, e que foram ocupadas desordenadamente”, disse Ícaro Moreno, presidente da Emop.

O prefeito de Teresópolis, Arley de Oliveira Rosa, afirmou que os esforços continuarão e falou das sirenes de alerta, que segundo eles "salvaram muitas vidas". Relatos de moradores dão conta de que o equipamento não funcionou ou funcionou tardiamente em algumas lugares. "Em um primeiro momento demos o total atendimento às famílias atingidas pela chuva e, em seguida, iniciamos a limpeza do centro da cidade e também dos bairros. Estamos empenhados e queremos dar assistência rápida à população. Trabalharemos sem parar até conseguirmos resolver todos os problemas", disse Arley.

AE
Durante a noite, chuva encheu ruas, casas e estabelecimentos comerciais. Carros não conseguiram trafegar
Em um primeiro momento demos o total atendimento às famílias atingidas pela chuva e, na manhã deste sábado, iniciamos a limpeza do centro da cidade e também dos bairros. Estamos empenhados e queremos dar assistência rápida à população. Trabalharemos sem parar até conseguirmos resolver todos os problemas

Os problemas, porém, continuam. A Defesa Civil de Teresópolis confirmou que há diversos pontos sem energia na cidade, sem precisar quantos moradores são afetados pela falta de luz. No sábado, diversos comerciantes na principal avenida da cidade passaram o dia limpando os estabelecimentos, já que em alguns o nível da água passou de um metro, de acordo com o relato dos proprietários.

Alguns deles disseram que não terão condições de reabrir na segunda-feira. Os bairros mais atingidos por deslizamentos de terra são Bom Retiro, Coreia, Perpétuo, Pimentel, Quinta Lebrão, Santa Cecília e Vale da Revolta.

    Leia tudo sobre: ChuvasTeresópolisMortes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG