Polícia disse acreditar que Wanderson Pereira trafegava pelo meio da pista na hora do acidente

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira (23) que o laudo de exame toxicológico do Instituto Médico Legal (IML) indicou a presença de álcool no sangue do cicilsta Wanderson Pereira dos Santos, que morreu após ser atropelado pelo carro dirigido por Thor Batista, filho do empresário Eike Batista. O acidente ocorreu na noite do último sábado (17) na rodovia BR-040, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Leia também:

"Mesmo convicto de minha inocência, vou ajudar a família do Wanderson", diz Thor

Filho de Eike Batista se envolve em acidente com morte no Rio

Segundo nota enviada pela polícia, que foi detectada a concentração de 15,5 dg/L (decigramas por litro) de álcool no sangue da vítima. Responsável pela investigação, o delegado Mário Arruda, da 61ª DP (Xerém), disse que a hipótese mais provável é de que Wanderson trafegava pelo meio da pista quando foi atropelado.

Thor Batista prestou depoimento na última quarta-feira (21). Alegou inocência e disse que vai ajudar a família de Wanderson. A polícia investiga se o filho de Eike trafegava em velocidade acima do permitido na rodovia e não descartou fazer nova perícia no veículo de Thor. Caso o limite não tenha sido respeitado, o jovem poderá ser indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.