Justiça suspende processos criminais contra bombeiros que invadiram quartel

Ações ficarão suspensas até projeto de lei de anistia criminal seja sancionada pela presidenta Dilma Rousseff

iG Rio de Janeiro |

AgênciaO Globo
Desde maio, bombeiros do Rio fizeram várias manifestações por aumento dos salários
A desembargadora Rosita Maria de Oliveira Neto, da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), decidiu suspender os processos criminais a que respondem os 429 bombeiros e dois PMs acusados de invadir o Quartel Central dos bombeiros na noite do dia 3 de junho.

Segundo o TJ-RJ, os processos ficarão suspensos até que a presidenta Dilma Rousseff sancionar o projeto de lei de anistia criminal dos millitares, que ainda tramita no Congresso Nacional.

Nas ações que correm na Justiça do Rio, os bombeiros respondem por motim e também por danos aos equipamentos e instalações da corporação.

A anistia administrativa dos militares já foi sancionada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral. Com isso, os bombeiros que participaram da invasão não poderão sofrer sanções internas.

Por causa da invasão à unidade principal da corporação, os bombeiros ficaram presos por cerca de uma semana mas tiveram o pedido de liberdade concedido.

Na época da invasão, os bombeiros reinvidicavam um aumento do piso salarial para R$ 2.000. Dias depois, o governo fluminense anunciou um reajuste de 5,58% para a categoria.

    Leia tudo sobre: bombeirosRio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG