Justiça manda prender sete PMs que eram réus da juíza Patrícia Acioli

Outros dez foram afastados dos serviços da rua por determinação judicial

iG Rio de Janeiro |

O juiz Fábio Uchôa, em exercício na 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, decretou nesta sexta-feira (7) a prisão preventiva de sete PMs e a suspensão do exercício da função pública de outros dez policiais militares.

Leia também: Tenente-coronel é preso acusado de ser o mandante de morte de juíza

Todos trabalhavam no 7º BPM (São Gonçalo) e eram julgados pela juíza Patrícia Lourival Acioli em processos de homicídios resultantes de autos de resistência (mortes em confronto com a polícia). A magistrada foi assassinada no dia 11 de agosto, no município de Niterói.

Os PMs punidos não estão entre os 11 policiais indiciados pelo assassinato da juíza. Entre os presos pelo crime está o tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, que era o comandante do 7º BPM quando Acioli foi morta. O inquérito já foi concluído pela Divisão de Homicídios da Policia Civil e encaminhado ao Ministério Público Estadual.

A decisão será encaminhada ao comandante-geral da PM, a fim de que adote todas as medidas que se fizerem necessárias.

No dia 8 de setembro, o Ministério Público estadual requereu medida cautelar de suspensão de exercício de função de 34 PMs réus de Patrícia Acioli e reiterou o pedido de prisão de 28 deles. Na ocasião, o juiz Fábio Uchôa determinou que os advogados e defensores públicos dos acusados se manifestassem, primeiramente, sobre o pedido da Promotoria.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG