Justiça decreta prisão de bicheiro Rogério Andrade

Contraventor é suspeito de ligação com morte de bombeiro que foi seu segurança. PMs também estariam envolvidos

iG Rio de Janeiro |

O 4º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro decretou nesta sexta-feira (28) a prisão preventiva do contraventor Rogério Andrade por suspeita de envolvimento no assassinato do bombeiro Antônio Carlos de Macedo, ocorrido no dia 10 de novembro do ano passado, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital fluminense. Andrade está foragido.

Além de Andrade, apontado como o mandante do assassinato, foram decretadas as prisões de outras sete pessoas, entre elas cinco PMs e um ex-policial que já tinham sido presos no último dia 31 por agentes da Divisão de Homicídios. O prazo da prisão temporária deles venceu hoje.

De acordo com o Ministério Público, Andrade teria ordenado a morte do bombeiro, que foi chefe de sua segurança, por acreditar que ele estivesse envolvido no atentado a bomba que matou o seu filho em abril de 2010, na Barra da Tijuca.

O bombeiro foi morto quando passava pela avenida Sernambetiba, sentido Barra da Tijuca, na praia da Reserva.

De acordo com as investigações, dois dos PMs efetuaram os disparos e outros três deram cobertura aos atiradores. Para despistar a PM, trocaram de veículo e atearam fogo no carro que usaram para o crime, em uma via perto do local onde Macedo fora morto.

A pena prevista para o crime de homicídio qualificado é de reclusão, de 12 a 30 anos. No caso de Andrade, o crime é agravado pelo fato de ele ter sido o mandante da ação criminosa.

    Leia tudo sobre: rogério andrademortebombeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG