Justiça concede liberdade à professora que manteve relações com aluna

Para desembargadores, prisão em flagrante de Cristiane foi ilegal

iG Rio de Janeiro |

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) concedeu habeas corpus à professora de Matemática Cristiane Teixeira Maciel Barreiras, de 33 anos, condenada por ter mantido um relacionamento com uma aluna de 13 anos . A decisão da 6ª Câmara Criminal foi tomada na última quinta-feira (10) e divulgada apenas nesta segunda-feira (14).

Reprodução
Professora posa para foto ao lado de aluna
De acordo com o TJ-RJ, os desembargadores da 6ª Câmara Criminal entenderam que a prisão em flagrante da professora foi ilegal. Segundo os autos, após receber a visita da menina, Cristiane Teixeira foi convidada a comparecer à delegacia de polícia. Chegando lá, acompanhada da jovem, ela foi comunicada da prisão.

A decisão foi unânime. O alvará de soltura foi expedido na sexta-feira (11). A professora de Matemática ficou presa na penitenciária de Bangu 8 e foi condenada pelo crime de estupro de vulnerável.

Denúncia

No dia 27 de outubro do ano passado, a mãe da adolescente de 13 anos registrou queixa de desaparecimento da filha e disse desconfiar que ela estivesse com a professora, pois as duas trocavam ligações telefônicas com frequência.

A mãe já havia feito queixa ao diiretor da Escola Municipal Rondon, onde a jovem estudava, e ele somente a transferiu de unidade, a pedido da Secretaria Municipal de Educação.

Os policiais foram, então, até a casa da educadora e souberam pelo marido da acusada que ela também estava desaparecida. Cristiane foi presa e confessou que estava com a jovem em um motel.

Em seu depoimento, ela acrescentou que vinha se relacionando com a adolescente há cinco meses. Os encontros ocorriam no horário escolar, para evitar que os parentes suspeitassem.

    Leia tudo sobre: professorahabeas corpusabuso sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG