Juan é enterrado no Rio de Janeiro

Enterro foi realizado sob sigilo porque a família do menino está em programa de proteção; polícia escoltou o funeral

iG Rio de Janeiro |

Agência O Globo
Alunos da escola de Juan prestam homenagem ao menino nesta quinta-feira, pouco antes do enterro do garoto
O corpo do menino Juan de Moraes , de 11 anos, foi enterrado no início da noite desta quinta-feira (7), no Cemitério Central de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) informou que, por motivos de segurança da família, o enterro foi realizado às 19h30. A cerimônia contou com escolta policial.

O enterro, a princípio, estava marcada para o início da manhã de sexta-feira, mas a família da criança decidiu antecipar. Estiveram presentes a mãe de Juan, Rosinéia Maria Moraes, o pai, Alexandre da Silva Neves, e cerca de vinte pessoas.

Os custos do funeral ficaram a cargo da SEASDH, que informa que a família do menino já voltou para local sigiloso.

O motivo seria o fato de a mãe e o irmão mais velho de Juan estarem tutelados pelo Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte (PPCAM), ligado ao governo federal.

Por medida de segurança, agentes do programa e da própria polícia do Rio teriam recomendado realizar o enterro nesta quinta-feira, para evitar a exposição dos familiares do menino.

O enterro, inicialmente marcado para esta sexta-feira (8), já tinha sido amplamente divulgado na imprensa.

Juan foi morto em uma operação policial no último dia 20, na favela Danon, em Nova Iguaçu. O irmão dele, Weslley de Moraes, de 14 anos, e o jovem Wanderson dos Santos de Assis, de 19 anos, foram baleados no mesmo tiroteio e contaram ter visto o menino ser baleado e cair. Wanderson também está sob programa de proteção .





    Leia tudo sobre: juanproteção a testemunhasdesaparecidoenterro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG