Irmão e amigo de atropelador de Rafael Mascarenhas são condenados a pagar cestas básicas

Filho de Cissa Guimarães morreu após ser atropelado por um carro que participava de racha; atropelador ainda será julgado

Bruna Fantti, iG Rio de Janeiro |

O juiz do 2º Tribunal do Júri do Rio, Paulo de Oliveira Lanzelotti Baldez, concedeu nesta terça-feira ( 7), a transação penal dos réus Gabriel Ribeiro e Guilherme de Souza Bussamra acusados, respectivamente, de participar de um "racha" (disputa em via pública de corrida de veículos não autorizada) - que resultou no atropelamento e morte do músico Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães - e de  fraude na pendência de procedimento policial.

A transação penal é um instrumento legal que cabe em crimes com pena inferior a dois anos. Assim, os réus foram condenados a pagar cestas básicas.

Ribeiro (que dirigia um dos carros no racha) foi condenado a pagar 10 salários mínimos em espécie ou cestas básicas à Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR) e teve sua carteira de motorista suspensa pelo prazo de um ano.

Já Guilherme Bussamra, (que ajudou a esconder o carro do irmão atropelador em uma oficina), irá pagar a metade do valor em dinheiro ou cestas básicas, para mesma instituição, pois, de acordo com sua defesa, ele estaria residindo em São Paulo, o que lhe trouxe despesas, dificultando o pagamento do valor de 10 salários. A ABBR irá escolher o meio de pagamento a ser recebido.

O juiz afirmou que a audiência de instrução para ouvir todos os envolvidos no atropelamento ( inclusive os PMs acusados de cobrar R$ 10 mil de propina para liberar Rafael) será realizada em janeiro de 2011.

Na ocasião, ele irá decidir se Rafael Bussamra (que estava dirigindo o carro que atropelou Mascarenhas) e seu pai, Roberto Bussamra, irão a júri popular.

    Leia tudo sobre: cissa guimarãesatropelamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG