Ocorrido em março, incidente destruiu capela localizada no campus da Praia Vermelha

O incêndio ocorrido em março deste ano no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na Praia Vermelha foi acidental. Essa é a conclusão do laudo de perícia criminal da Polícia Federal divulgado nesta terça-feira (4) pelo Ministério Público Federal.

De acordo com o documento, o fogo de um maçarico a gás usado por um funcionário alastrou-se a partir do telhado da capela existente no local, que estava em obra. O maçarico estava sendo utilizado para repara uma calha de cobre.

Incêndio no campus da UFRJ teve início no teto da capela existente no local
ig
Incêndio no campus da UFRJ teve início no teto da capela existente no local
Segundo a perícia, havia um extintor de incêndio no local, porém, mal localizado e de pouco alcance. Além disso,o laudo aponta que a técnica utilizada no reparo foi equivocada, já que o maçarico a gás libera calor excessivo, podendo queimar materiais no entorno do local em que está sendo aplicado.

"Apesar de haver sido acidental, não está excluída a hipótese de ter havido crime de incêndio culposo ou de dano culposo ao patrimônio histórico, o que, no entanto, será mais bem avaliado quando a Polícia Federal concluir o inquérito", disse o procurador da República Fernando José Aguiar de Oliveira.

Mais 90 dias de prazo foram concedidos à PF para conclusão das investigações. O MPF também solicitou ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que avalie o prejuízo causado pelo incêndio e que a UFRJ forneça a documentação necessária para o serviço de restauração.

De acordo com a perícia criminal, o incêndio danificou documentos nas dependências da capela, mas a dimensão desses danos só poderá ser avaliada em exame em separado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.