Inca vai investigar morte de pescador; família denuncia falta de atendimento

Direção do Instituto Nacional do Câncer promete abrir sindicância na segunda-feira; causa do óbito será divulada apenas pelo IML

iG Rio de Janeiro |

Marcelo Carnaval / Agencia O Globo
O pescador estava com câncer há um ano, mas só descobriu a doença há quatro meses; família afirma que Inca não prestou socorro
A direção do Instituto Nacional de Câncer (Inca) prometeu abrir uma sindicância na segunda-feira (14),"para apurar os fatos relacionados à morte do paciente Ronaldo Pereira Gomes, 54 anos, ocorridos no Hospital do Câncer 1", na Praça da Cruz Vermelha, centro do Rio de janeiro. Ele morreu nesta sexta-feira (11), após procurar atendimento na unidade. A família denuncia omissão de socorro.

Segundo o Inca, o paciente é vítima de suspeita de linfoma cutâneo, que é um tipo de tumor de células da pele. Mas a "causa do óbito será divulgada pelo Instituto Médico Legal".

Desde a madrugada, familiares de Ronaldo, que é pescador, denunciam a falta de atendimento na unidade de saúde.  A irmã dele, Solange Pereira Gomes, acusou os profissionais do Inca de "omissão" e registrou o caso na 5ª DP (Mem de Sá).

De acordo com o relato de Solage, o irmão sofria com o câncer há um ano. Porém, a doença só foi descoberta há cerca de quatro meses. Morador de Cabo Frio, no litoral carioca, Ronaldo passou os últimos meses na casa de amigos na zona norte da capital, em busca de tratamento no Inca.

No entanto, segundo Solagen, somente para conseguir um pré-cadastro no hospital foi necessário passar por três triagens. E neste período, segundo ela, a doença do irmão se agravou.

Nesta sexta-feira, ela alugou uma ambulância particular para transportar Ronaldo ao setor de emergência do Inca. Ronaldo até chegou a ser atendido por um profissional do plantão. Mas a família foi informada de que não poderia haver internação porque o pescador não fazia parte do cadastro da instituição, mesmo a família tendo o protocolo de pré-matrícula. Solage acrescentou que eles foram orientados a procurar outra unidade pública de saúde.

O corpo de Ronaldo foi levado durante a madrugada deste sábado (12) para o Instituto Médico Legal (IML). A família informa que o enterro será realizado em Cabo Frio.

    Leia tudo sobre: pacientecâncermorreincasindicância

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG