Hospitais do Rio recusam diariamente 30 pacientes

Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina, Luis Fernando Moraes, o problema é antigo

Daniel Gonçalves, especial para o iG |

Os hospitais do Estado do Rio de Janeiro recusam diariamente cerca de 30 pacientes por falta de leitos em unidades de terapia intensiva (UTIs). Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj), Luis Fernando Moraes, o problema é crônico e antigo.

Moraes afirmou que é necessário que “as três esferas de governo disponibilizem todos os leitos. Também é preciso ampliar o número de vagas”. Ele disse ainda que, para amenizar o problema, deve-se fazer um levantamento do número de leitos desativados por falta de recursos humanos, além da contratação de mais profissionais.

Após a morte da aposentada Magda Lúcia dos Santos, de 61 anos, no último final de semana, a Secretaria Municipal de Saúde de São João de Meriti transferiu, na segunda-feira (18), sete pacientes internados em unidades de atendimento do município que aguardavam vagas para hospitais do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu e Duque de Caxias.

A Promotoria de Justiça de Saúde de Nova Iguaçu, que atua na Tutela da Saúde Pública da Baixada Fluminense, vai apurar a morte da idosa. O Ministério Público Estadual já investiga a falta de leitos hospitalares.

O governador Sérgio Cabral anunciou na terça (19) a construção de quatro unidades médicas anexas orçadas em R$233 milhões e que serão concluídas em 2011. As obras serão nos hospitais de Saracuruna, em Caxias, Pedro II, em Santa Cruz, Santa Mônica, em Niterói, e Iaserj, no Centro do Rio.

    Leia tudo sobre: saúdehospitaisfalta de leitos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG