HGV recebe primeiro ferido

Homem de cerca de 20 anos chegou alvejado no peito, ainda com vida. Ele foi ferido em confronto com a PM

Fábio Grellet, especial para o iG |

Um homem não identificado, com cerca de 20 anos, foi a primeira vítima do confronto entre criminosos e policiais no Complexo do Alemão, conjunto de favelas na zona norte do Rio. Com ele, foi a apreendido um fuzil Ruger, calibre 556, exclusivo das Forças Armadas. Ele chegou ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha (o mais próximo ao conflito) às 11h50 deste domingo (28). A vítima foi alvejada no peito, mas, segundo os policiais que o escoltaram, está com vida.

"Ele estava com cerca de 10 homens que tentaram conter o avanço da nossa equipe", disse o tenente Sérgio Viana, do 16º Batalhão da PM.

O confronto ocorreu na Rua dos Canitás, dentro do Complexo do Alemão, e os demais criminosos conseguiram fugir. Segundo Viana, uma equipe de policiais já encontrou mais de 12 outros criminosos que tentaram conter o avanço da ocupação, mas todos escaparam.

Hospital recebe menos feridos do que o esperado

Até as 11h20 deste domingo, nenhum outro ferido no Complexo do Alemão precisou ser atendido nos dois hospitais com áreas reservadas para socorrer as vítimas de eventuais confrontos ocorridos durante a ocupação da comunidade pela polícia e pelo Exército, informou o secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes.

Segundo ele, um hospital de campanha foi montado em Del Castilho, também na zona norte e próximo a um dos acessos ao Complexo do Alemão. A unidade dispões de duas salas de cirurgia, quatro leitos de pós-operatório e tomógrafo móvel, além de dez cirurgiões de plantão.

No Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, zona norte, 40 leitos e 10 salas de cirurgia estavam reservadas desde o início da madrugada deste domingo para eventuais vítimas de confronto na comunidade. Como até as 11h, nenhuma vítima presicou de atendimento, metade dos leitos e das salas cirúrgicas foi liberada para receber pacientes de outras origens.

Segundo Côrtes, as duas únicas do Complexo do alemão atendidas no Getúlio Vargas foram um homem embriagado e um rapaz que se feriu enquanto fazia a manutenção de uma gaiola com pássaros. O secretário liberou ambulâncias do Serviço de Atendimento Míovel que estavam reservadas para a operação para transportar outros pacientes em outras situações.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG