Hackers invadem site da concessionária Barcas S/A

Invasores criticaram aumento de 61% da tarifa e o estado de conservação das barcas

iG Rio de Janeiro |

Guto Maia / Brazil Photo Press / Agência O Globo
Barca deixa a estação de Niterói em direção ao Rio de Janeiro: críticas ao serviço oferecido
O site da concessionária Barcas S/A – que opera a travessia Rio-Niterói – foi invadido por hackers nesta terça-feira (6). Autointitulados como Anonymous, os invasores deixaram na página de internet uma mensagem que critica o recente aumento da tarifa e o estado de conservação das embarcações.

“Bancos rasgados, pedaços do teto despencando, banheiros sujos, insetos, ferrugem, coletes sem data de fabricação ou validade e extintores de incêndio em falta. Esse é o conjunto de ‘vantagens’ que a Barcas S.A. oferece em troca do aumento de 60,7% no valor da passagem. E quando a população protesta, é coagida pela polícia ou são ameaçadas com multas milionárias”, dizia a mensagem.

Reprodução
Hackers invadiram site da concessionária Barcas S/A e deixaram críticas à empresa
Ao tomar conhecimento da invasão, a Barcas S/A retirou o site do ar. Procurada pelo iG , a empresa informou em nota que as mensagens veiculadas não refletem a opinião da concessionária e que “está tomando as providências legais cabíveis e providenciando os reparos necessários para que o funcionamento do site seja reestabelecido o quanto antes”.

“Barcas S/A entende que qualquer manifestação pacífica que se refira à liberdade de expressão é legítima. A concessionária condena atos de vandalismo e manifestações violentas, que coloquem em risco a integridade dos passageiros e coíbam o direito básico de ir e vir”, declarou a empresa, através do comunicado.

Reajuste polêmico

A polêmica envolvendo as barcas começou após o anúncio do aumento de 61% da tarifa , passando de R$ 2,80 para R$ 4,50. O reajuste foi autorizado pela Agência Reguladora de Transportes do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) e estava previsto para ocorrer no dia 1º de março.

O aumento, no entanto, gerou revolta nos usuários do meio de transporte. Cerca de 300 pessoas fizeram uma manifestação no dia em que a tarifa seria reajustada em frente à estação de Arariboia, no município de Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Com bandeiras, cartazes e apitos os manifestantes criticaram o Governo do Estado por ter autorizado o reajuste à empresa Barcas S/A. Mesmo com o movimento pacífico, a segurança no local chegou a ser reforçada por policiais militares do Batalhão de Choque e do 12º BPM (Niterói).

Durante o protesto, um oficial de justiça entregou aos organizadores do movimento uma liminar pedida pela Barcas S/A determinando uma multa de R$ 5 milhões caso o manifesto não fosse pacífico, causando danos ao patrimônio ou gerando risco para pessoas. O documento ainda proibia a participação de militantes do partido PSol e de um professor que havia postado um vídeo na internet em que criticava o aumento da tarifa.

Pedro Kirilos / Agência O Globo
No dia 1º de março, manifestantes fizeram protesto em Niterói e a segurança foi reforçada pela PM
Aumento adiado

Com a manifestação popular, a concessionária decidiu adiar o início do reajuste para o dia 3 de março. A justificativa dada pela secretaria estadual de Transportes foi de que a mudança ocorreu para dar mais tempo aos passageiros para fazer o Bilhete Único Intermunicipal . Explica-se: para os portadores do cartão que realizam duas viagens diárias – ida e volta –, a tarifa aumentou para R$ 3,10.

“Nosso objetivo é que todos os usuários do transporte aquaviário sejam beneficiados pelos subsídios oferecidos pelo Governo do Estado. Por isso decidimos oferecer mais dois dias para que os passageiros da travessia Rio-Niterói, que ainda não fizeram seu cadastro, também possam pagar menos”, declarou em nota o secretário Julio Lopes, na ocasião.

Como o aumento ocorreu em um sábado, não houve protesto. Mas na segunda-feira (5), primeiro dia útil após o reajuste, cerca de 200 pessoas realizaram outro movimento. Elas exibiram faixas e cartazes com palavras de repúdio ao aumento da tarifa e aos serviços prestados pela Barcas S/A. Uma nova manifestação está marcada para quarta-feira (7), às 14h, na estação Arariboia, em Niterói.

Fabiano Rocha / Agência O Globo
No dia 5 de março, outro protesto foi realizado em Niterói contra o reajuste da tarifa das barcas

    Leia tudo sobre: barcasbarcas s/aaumento de tarifabarca rio-niterói

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG