Guarda municipal e motoristas de reboque são presos por corrupção

Policial flagrou ação com uma câmera pessoal. Guarda municipal cobrou R$ 300 para liberar carro particular rebocado

iG Rio de Janeiro |

Com uma câmera fotográfica particular, o sargento da Polícia Militar Romildo do Carmo foi o responsável pela prisão de um guarda municipal e dois motoristas de reboque por corrupção na Urca, Zona Sul do Rio, neste sábado. O policial notou uma movimentação estranha dos reboques e, ao perceber que um dos carros guinchados tinha voltado à rua, seguiu os envolvidos e flagrou a extorsão.

As informações foram fornecidas pela delegada Cristiana Miguel Bento, da 12ª DP, de Copacabana. Segundo a delegada, o guarda e os motoristas de reboque foram presos e serão acusados de corrupção passiva, acrescentando que a pena para o crime pode variar de dois a 12 anos de reclusão. O motorista do carro foi ouvido apenas como testemunha, sendo considerado vítima de extorsão.

A delegada contou que o sargento desconfiou quando viu o reboque passar com o carro, no sentido oposto ao que deveria, e pouco depois passar novamente, sem nenhum veículo na sua traseira. Quando o carro que estava rebocado apareceu rodando na rua, o policial desconfiou e, na segunda vez que o fato aconteceu, seguiu o reboque com a sua câmera.

“O Guarda Municipal e os motoristas dos reboques foram autuados em flagrante. Quando foi abordado pelo policial, o motorista do carro confirmou que eles solicitaram R$ 300 para que não fosse rebocado. O motorista ainda negociou, disse que só tinha R$ 100 na carteira e eles aceitaram. Foi isso e liberaram, desceram o carro do reboque”, explicou a delegada.

A Secretaria Municipal de Ordem Pública deverá afastar imediatamente o guarda municipal do serviço, podendo abrir processo interno que poderá resultar na sua expulsão da corporação. A Prefeitura do Rio deverá pedir a demissão dos motoristas de reboque à empresa que cuida da operação.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG