Grupo não afetado por UPPs também promove invasões no Rio

Quadrilha que não teve favelas pacificadas ataca redutos inimigos para ampliar domínios

Mario Hugo Monken, iG Rio de Janeiro |

Jadson Marques/Agência O Globo
PMs fazem incursão na Vila Kennedy, na zona oeste. Comunidade é alvo de facção
Além da Amigos dos Amigos (ADA), a facção criminosa TCP (Terceiro Comando Puro) também tem promovido guerras para expandir seus domínios. A última delas ocorreu na comunidade Vila Kennedy, em Bangu, na zona oeste, no penúltimo fim de semana de maio.

Segundo a PM, a quadrilha do traficante Márcio José Sabino Pereira, o Matemático , ligada ao TCP, saiu da Vila Aliança para atacar a Vila Kennedy, controlada pelo CV. A polícia tem informações de que o bando de Matemático contou com a ajuda de traficantes da própria Vila Kennedy, que resolveram mudar de facção no ataque. A invasão não surtiu efeito e a comunidade acabou sendo ocupada pela PM. Conheça os grupos criminosos que controlam favelas no Rio.

Após a invasão, os confrontos continuaram. No primeiro fim de semana deste mês, um menino de 12 anos morreu atingido por uma bala perdida quando estava em casa, na Vila Kennedy. No dia seguinte, dois supostos traficantes morreram em um tiroteio com PMs.

Na última sexta-feira (10), a Vila Kennedy e a Vila Aliança voltaram a ser ocupadas pela PM. Houve confrontos, três moradores foram atingidos por balas perdidas e um suposto traficante morreu.

Antes, em abril, o alvo do TCP havia sido a comunidade Nova Holanda, no Complexo da Maré , dominada pelo CV. O chefe do tráfico nas favelas do Timbau e da Baixa do Sapateiro, que também ficam na Maré, Marcelo Santos das Dores, o Menor P, que é vinculado ao TCP, tentara um "acordo de paz" com os bandidos da Nova Holanda, para acabar com pequenos confrontos que estavam acontecendo na fronteira entre as comunidades inimigas e permitir que os moradores circulassem livremente entre as localidades.

Após aceitarem o acordo, os traficantes da Nova Holanda teriam agredido dois moradores da favela rival. Com isso, o bando de Menor P decidiu atacar a comunidade inimiga. Houve intenso tiroteio e dois inocentes foram feridos por balas perdidas.

Os confrontos continuaram após a invasão. Em maio, os bandidos da Nova Holanda atacaram a tiros três moradores da Baixa do Sapateiro ao confundí-los com traficantes rivais. Um morreu e dois ficaram feridos. No primeiro fim de semana deste mês, um PM foi baleado na Nova Holanda.

A Polícia Civil tem informações de que os traficantes ligados ao TCP radicados no morro da Serrinha, em Madureira, na zona norte, também têm realizado várias investidas para tentar tomar o controle do morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, controlado pelo CV.

"Quebrado", CV tenta se rearticular

Em relação ao Comando Vermelho, a polícia tem informações de que o grupo vem tentando se rearticular após os prejuízos que teve com a ocupação nos complexos do Alemão e da Penha , quando foram apreendidos, nos primeiros meses, quase 40 toneladas de maconha, pouco mais de 400 kg de cocaína e cerca de 500 armas, sendo 150 fuzis.

Segundo policiais ouvidos pelo iG , a prioridade do grupo é o pagamento de dívidas com fornecedores. Traficantes que não conseguiram retirar o dinheiro que deixaram no Alemão estão encontrando dificuldades para comprar drogas já que os fornecedores só aceitam pagamento à vista.

Recentemente, a Secretaria de Segurança Pública anunciou que deverá começar este mês a ocupação no morro da Mangueira, na zona norte , para futura implantação de uma UPP. A favela estava servindo de abrigo para os chefões do CV após a ocupação no Alemão e na Penha.

Com o anúncio da UPP na Mangueira, os líderes do grupo já deixaram o local e, segundo a polícia, podem ter migrado para o Complexo de Manguinhos e para a favela do Jacarezinho, na zona norte.

    Leia tudo sobre: guerra do tráficoRio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG