Sindicato dos rodoviários e empresas de ônibus vão realizar assembleia. Trânsito é lento nos acessos à Ponte Rio-Niterói

Na tarde desta segunda-feira (2), rodoviários e representantes das empresas de ônibus de Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, vão realizar uma reunião para entrar em um acordo que possa suspender a greve dos ônibus no município. A paralisação já dura cinco dias e deixou mais de 1 milhão de passageiros a pé em Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí e Tanguá.

Apesar da falta de ônibus, de acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), não houve um aumento significativo no movimento de carros na Ponte Rio-Niterói.

No entanto, o trânsito é lento em Niterói e nos outros municípios. A assessoria da Prefeitura de Niterói informou que  liberou o tráfego nas vias exclusivas dos ônibus para a passagem de carros particulares, em uma tentativa de melhorar a fluidez do trânsito.

A rodovia Niterói-Manilha já apresenta congestionamento de 12 km, no sentido Rio.

Os rodoviários pedem aumento salarial de 16%, o fim da dupla função, reajuste de 50% no valor da cesta básica e o fim da função de motorista júnior. Já as empresas de ônibus oferecem 10% de aumento e 25% de reajuste da cesta básica.

Greve na Baixada Fluminense

Os rodoviários da Baixada Fluminense também se encontrarão com os representantes da TransÔnibus (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Nova Iguaçu), nesta segunda-feira.

Durante o final de semans, os grevistas resolveram suspender a paralisação.

Sem ônibus nas ruas, os moradores de oito municípios de Nova Iguaçu, Nilópolis, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Seropédica, Itaguaí e Paracambi levaram até três horas para chegar ao Centro do Rio de Janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.