Governo Federal oferece 50 vagas em presídios federais para o Rio

Ministro da Justiça diz que Força Nacional está à disposição

Severino Motta, iG Brasília |

O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, anunciou nesta quarta-feira, 24, que os presídios federais têm 50 vagas à disposição de presos do Rio que o governo fluminense queira transferir. Na véspera, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, havia solicitado a transferência de oito presos para presídios federais. Eles irão para o presídio federal em Porto Velho, Rondônia.

Beltrame anunciou que gostaria de enviar outros cinco para fora do Estado. Os presos, cujas identidades não foram reveladas, são suspeitos de envolvimento na série de ataques cometidos pelos tráficos na capital carioca e na região metropolitana.

Barreto foi reticente em afirmar que a ordem para os ataques tenha sido dada de dentro dos presídios. Questionado por repórteres, respondeu: “Não. A inteligência identificou tentativas de uma visita passar bilhete para um dos apenados onde mostrava insatisfação com o esquema das UPPs”.

Ele descartou a hipótese de pedir o enquadramento no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) dos criminosos que estão nos presídios federais suspeitos de envolvimentos nas ações. “Isso é sempre uma avaliação do juiz de execução penal, que tem melhores condições de avaliar cada caso individualmente”.

E também disse que é prematuro discutir o uso da Lei de Segurança Nacional contra os responsáveis pelos ataques. “Isso vai ser visto num segundo momento, quando uma investigação criminal mais ampla puder investigar com precisão o que aconteceu”

Força Nacional

Barreto também colocou efetivos da Força Nacional de Segurança à disposição do governo do Rio. “Se for necessário o governador Sergio Cabral pedirá e nos vamos imediatamente encaminhar”, afirmou ele. “Conversei com o governador e ele me disse que por enquanto não havia necessidade, mas não está descartado”, contou. “Neste momento a avaliação do governo é que era melhor a polícia rodoviária federal nas rodovias” ( veja aqui vídeo com o ministro).

O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, se disse contrário ao uso da Força Nacional neste momento. “Se for preciso, iremos pedir. Mas isso não resolve o problema”.

    Leia tudo sobre: ataques no Riotráficosegurança públicaBeltrame

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG