Governo anuncia 8 mil casas para desabrigados da Região Serrana

Para presidenta, tragédia servirá como experiência para melhorar a prevenção e evitar que episódios do gênero voltem a acontecer

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (27), no Rio de Janeiro, que a tragédia que já matou mais de 800 pessoas na Região Serrana fluminense servirá como experiência para melhorar a prevenção e evitar que episódios do gênero voltem a acontecer. De acordo com ela, a primeira medida será fazer mapeamentos de áreas de risco com o auxílio dos estados e municípios.

“Não podemos deixar se repetirem catástrofes dessa dimensão. Temos conhecimento do que é necessário fazer para evitar isso. Essa experiência resultará na melhora da prevenção desses acidentes, tanto do ponto de vista ambiental, como de não deixar mais que populações se instalem em áreas de risco. Estamos atentos para tomar todas as providências necessárias para o resgate da Região Serrana”, afirmou Dilma.

Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma ao lado do governador Sérgio Cabral (à dir.), durante cerimônia no Palácio Guanabara
Ela participou no Palácio Guanabara da cerimônia de anúncio de construção de 8 mil casas nos municípios atingidos pelas chuvas neste mês. Empresários da área de construção civil doaram 2 mil moradias, e o Governo Federal anunciou mais 6 mil unidades.

Segundo a presidenta, é preciso capacitar os órgãos de Defesa Civil municipais. “Tem de estruturar a Defesa Civil. Os municípios precisam de suporte, não vão fazer sozinhos porque não têm recurso e precisam de formação. Tem de criar e capacitar a Defesa Civil dos municípios. Nem a Defesa Civil do Estado nem da União são suficientes. E precisa formar as pessoas para terem atuação firme”, disse.

Dilma afirmou que esse esforço deve ser feito pela União em parceria com estados e municípios. “Precisa fazer mapeamento de área de risco para saber onde mais precisa. Vamos começar por eles. A primeira questão é financiar área de risco, em parceria união-estado - os municípios maiores vão entrar com mais. Não podemos montar isso, de Brasilia, e sair fazendo. Vamos chamar os governadores e montar em conjunto".

De acordo com a presidenta, o país precisa aprender a manejar os instrumentos de prevenção para reduzir o potencial de catástrofes. "O sistema de prevenção e alerta precisa saber o que vai acontecer. Se vai ter precipitação, com certa antecedência quando será. Não pode ficar tirando todo mundo [de suas casas] sem ter por quê. Precisa saber a que horas e por quê tira. O Brasil precisa aprender a fazer isso", finalizou.

    Leia tudo sobre: tragédiachuvasregião serranadilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG