Filho de Cissa esperou 19 minutos até ambulância chegar

Bombeiros foram acionados à 1h48, alegam ter chegado em 4 min, mas só entram às 2h07 no túnel, mostra vídeo da prefeitura

iG Rio de Janeiro |

nullO músico Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, esperou por cerca de 19 minutos sem atendimento médico no túnel acústico da Gávea, entre o momento que foi atropelado e a chegada da ambulância do Corpo de Bombeiros que o socorreu, na madrugada de terça-feira (20).O rapaz chegou com vida ao Hospital Municipal Miguel Couto, onde morreu às 8h. O quartel dos bombeiros de onde saiu a ambulância fica a 1km do túnel.

De acordo com o vídeo da CET-Rio (Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio), que monitora a via de acesso ao túnel – fechado para manutenção, naquela madrugada –, o Siena preto de Rafael Bussamra que atropelou Rafael para à 01h48:40, na Auto-Estrada Lagoa-Barra, pouco após sair do túnel. Pelas imagens, é possível ver que o carro tinha apenas o farol direito aceso.

O atropelamento teria ocorrido instantes antes. Porém a ambulância do Corpo de Bombeiros, enviada pelo quartel da Gávea, chegou ao túnel somente às 2h07:25 – 18 minutos e 45 segundos depois –, com o giroscópio ligado, segundo a filmagem.

nullO atendimento inicial de Rafael pelos bombeiros, comandados por um tenente médico, demorou oito minutos, ainda dentro do túnel. A ambulância sai do túnel às 2h15:25, em alta velocidade, em direção ao Hospital Municipal Miguel Couto, a menos de 500 metros dali.

PMs liberaram atropelador após 7 minutos

O iG revelou nesta quinta que o sargento Marcelo Martins e do Cabo Marcelo Bigon, do 23°BPM (Leblon), abordaram o Siena preto por sete minutos e sete segundos, antes de liberarem Rafael Bussamra e o carro, que tinha marcas evidentes de uma colisão na parte dianteira esquerda. A viatura policial ficou parada atrás do Siena por esse período, enquanto Rafael aguardava socorro. O automóvel teria participado de um “pega” com um Honda Civic no túnel, fechado para manutenção. A PM informou, em nota, que está apurando a conduta dos policiais em inquérito policial militar, pela Corregedoria.

null

Os horários da câmera da CET-Rio, entretanto, não coincidem com os do registro do Corpo de Bombeiros. A CET-Rio informou ao iG que o relógio da câmera está sincronizado com o horário de Brasília.

nullDe acordo com informação do sistema de atendimento do Corpo de Bombeiros, o quartel da Gávea recebeu um chamado avisando sobre o atropelamento à 1h48, de um homem identificado apenas como Edmilson. Segundo os bombeiros, a ambulância saiu da unidade um minuto depois, chegou ao local do acidente à 1h52 e partiu em direção ao hospital três minutos depois.

Ainda conforme os militares, a ambulância com Rafael chegou ao Miguel Couto à 1h58. Assim, entre o chamado para o quartel – à 1h48 – e a chegada de Rafael ao hospital – à 1h58 – teriam se passado apenas dez minutos, conforme a versão dos bombeiros.

Oficialmente, segundo a Secretaria de Saúde do Rio, Rafael só entrou às 2h30 no Miguel Couto, e morreu às 8h.

As imagens da câmera da prefeitura desmentem a versão dos bombeiros. O vídeo mostra que só entre a chegada e a saída da ambulância se passaram oito minutos – os bombeiros disseram que o atendimento demorou apenas três minutos.

Socorro por telefone pensou que era trote, diz morador que ligou para avisar

O morador da Gávea Marciel Felipe, 33, afirmou ao iG ter sido um dos primeiros a chegar ao local. Contou que ligou para o Corpo de Bombeiros cinco vezes e que o socorro demorou. “Os bombeiros demoraram muito. Ficavam pedindo dados residenciais, para saber se não era trote. Foram 25 minutos até a ambulância chegar”, disse.

Marciel disse que, depois de telefonar insistentemente sem sucesso, resolveu ir a pé até o quartel dos bombeiros, que fica a 1 km do local do acidente. Chegando ao quartel, viu a ambulância ir em direção ao túnel.

Se os relógios do Corpo de Bombeiros e da CET-Rio estão sincronizados com o horário de Brasília, a ambulância demorou 19 minutos – entre 1h48, quando chegou o primeiro chamado por telefone ao quartel, e as 2h07:25, quando a ambulância entra no túnel.

(Reportagem de Raphael Gomide e Bruna Fantti)

    Leia tudo sobre: CissaRafael19 minutosambulânciabombeiros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG