Famílias deixam condomínio invadido do programa "Minha Casa, Minha Vida"

Imóveis foram tomados por milicianos, que alugaram e venderam apartamentos

iG Rio de Janeiro |

Agência Estado
Policiais acompanham saída de moradores de condomínio para evitar tumultos
Policiais federais e militares acompanham desde o início da manhã desta quinta-feira (26) a desocupação de famílias que invadiram ilegalmente um condomínio construído para o programa “Minha Casa, Minha Vida” no bairro de Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro.

Agência Estado
Moradora chora ao deixar imóvel do condomínio do programa "Minha Casa, Minha Vida"
O empreendimento deveria abrigar moradores retirados de áreas de risco e desabrigados por chuvas, mas foi ocupado em fevereiro deste ano por milicianos do grupo do ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, atualmente detido na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Campo Grande (MS).

Na quarta-feira (25), oficiais de Justiça notificaram os moradores dos 143 apartamentos de dois quartos e sala do Condomínio Ferrara para que deixassem o local em 24 horas. Destinado a famílias reassentadas com renda inferior a três salários mínimos, os imóveis ocupados por milicianos foram alugados e, em alguns casos, vendidos.

A ordem judicial também vale para outros dois condomínios que também teriam sido invadidos por homens do grupo paramilitar de Batman. As famílias retiradas dos empreendimentos poderão ser cadastradas no programa “Minha Casa, Minha Vida” para receberem imóveis no futuro. Enquanto não forem contempladas, vão receber um aluguel social no valor de R$ 400. Os moradores que preferirem também vão poder se instalar em abrigos da Prefeitura do Rio.

Agência O Globo
Na quarta-feira, PMs também estiveram no local durante a notificação judicial dos moradores

    Leia tudo sobre: milíciaminha casa minha vidacondomínioinvasão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG