Familiares de vítimas de tragédia em Realengo criam associação

Na manhã deste sábado (28), 14 famílias se reuniram para reivindicar um encontro com o prefeito Eduardo Paes

iG Rio de Janeiro |

Familiares das vítimas da tragédia na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, criaram a Associação dos Familiares e Amigos dos Anjos de Realengo para reivindicar mais segurança nas escolas e auxílio no tratamento dos feridos. Na manhã deste sábado (28), 14 famílias se reuniram para reivindicar um encontro com o prefeito Eduardo Paes.

“Ele marcou uma reunião, na última sexta-feira (27), mas cancelou em cima da hora. Quando o assunto era o principal da imprensa, ele fez milhões de promessas. Agora, estamos abandonados”, afirma Perla Rocha, tia das gêmeas Brenda e Bianca.

Além do reforço na segurança, as famílias querem transporte e alimentação para o tratamento das vítimas. “Preciso levar o meu filho na segunda-feira (30), de manhã, ao hospital. Mas até o momento, não sei se haverá transporte para ele. Meu filho não pode pegar ônibus e meu carro foi roubado, no último dia 30”, disse Carla Vilhena, mãe do menino Carlos Matheus.

Os “Anjos de Realengo” preparam uma passeata para o próximo dia 7, partindo do centro do Rio, para reivindicar segurança e paz nas escolas. A data marca os dois meses da tragédia em que o ex-aluno Wellington de Oliveira entrou na escola armado, fez vários disparos e matou 12 estudantes. Depois de ser atingido por um tiro de um policial, Wellington se matou.

Gustavo Stephan / Agência O Globo
Familiares das vítimas da tragédia criaram "Anjos de Realengo"

    Leia tudo sobre: ataque em escolarealengoanjos de real

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG