Soldado disse que "se estivesse na briga, o estudante não sairia vivo"

Vitor Suarez Cunha deixou o hospital onde estava internado na última quarta-feira (8)
Julie Alves
Vitor Suarez Cunha deixou o hospital onde estava internado na última quarta-feira (8)
A FAB (Força Aérea Brasileira) expulsou nesta sexta-feira (10) o soldado Yuri Monteiro Ribeiro. Ele publicou mensagens no Twitter incentivando os agressores do estudante de Desenho Industrial Vítor Suarez Cunha, de 21 anos.

Leia também : Jovem é espancado ao defender mendigo de agressão

O jovem apanhou de cinco homens após tentar defender um morador de rua que levava uma surra deles, na Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro Os cinco suspeitos já estão presos.

O militar, que conhece os agressores, disse no Twitter que "se estivesse na briga, ele (o estudante) não estaria vivo".

Segundo a Aeronáutica, Yuri foi expulso pela prática de ato contra a moral pública, pundonor militar ou falta grave que, na forma da Lei ou de Regulamentos Militares, caracteriza seu autor como indigno de pertencer às Forças Armadas.

Vítor Suarez recebeu alta do hospital na última quarta-feira (8). Por causa das agressões, o estudante teve 15 ossos do rosto fraturados e foram colocados 63 pinos e oito placas de titânio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.