Estradas do Rio registram 13 mortes no feriado prolongado

"A imprudência dos motoristas foi desmesurada", afirma inspetor da PRF, que alerta para o aumento da violência nas estradas

iG São Paulo |

As estradas do Rio de Janeiro registraram 13 mortes entre sexta (8) e terça-feira (12), período em que foi realizada a "Operação Padroeira" pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foram contabilizados 218 acidentes, que deixaram 90 feridos.

Em 2009, a "Operação Padroeira" teve um dia a menos, o que impossibilitaria a comparação dos dados entre as duas. No entanto, ainda assim, o inspetor André Luiz Azevedo, da PRF, explica que a polícia compara os anos para alertar os usuários sobre o crescimento da violência nas estradas.

A operação de 2009, feita entre os dias 9 e 12, registrou 190 acidentes, com 99 feridos e 6 mortos. Com a ressalva de que 2010 teve um dia a mais de análise, houve um aumento de 14,7% nos acidentes e, 116%, nas mortes. "Embora seja distorcida, para nós é uma forma mais didática de passar os dados e chamar a atenção da população para a violência. A polícia não está preocupada somente em divulgar números bons", afirma Azevedo ao iG. "Temos que manter a estatística em queda, independentemente do crescimento da frota", acrescenta.

Em 2009, cerca de 5 mil pessoas foram autuadas por infrações de trânsito, contra 9 mil deste ano. O inspetor chama a atenção para crescimento do número de pessoas dirigindo acima da velocidade permitida. Este ano, em cinco dias, aproximadamente 7 mil motoristas foram autuados por excesso de velocidade, contra 1.100 do ano passado, em quatro dias de operação. "Mesmo se relativizados por dia, esses dados seriam maiores. A frota cresceu, mas não 700% como as infrações", ressalta.

De acordo com Azevedo, algumas coicidências de fatores contribuiram para o aumento da violência nas estradas fluminenses. A PRF afirma que a maioria dos motoristas optou por deixar a cidade na noite de sexta-feira. Entre as 17h e 21h, todos os corredores viários estavam congestionados.

"A circulação de véiculos foi uma das maiores que já vimos, não conseguimos prever que seria assim", afirma Azevedo, acrescentando que o trânsito dificultou as ações da PRF e a chegada até mesmo de motocicletas aos locais de acidentes.

O ponto principal, porém, ele afirma que foi realmente a imprudência dos motoristas ao volante. "Eles se comportaram de maneira diferente das outras operações. A imprudência foi desmesurada", diz. Ele afirma que, diante destes dados, a PRF está preocupada com a chegada do verão, quando o número de turistas e, consequentemente, de veículos, aumenta nas estradas do Rio de Janeiro. "Por mais que nos esforcemos precisamos da colaboração da população".

    Leia tudo sobre: estradastrânsitooperação padroeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG