"A imprudência dos motoristas foi desmesurada", afirma inspetor da PRF, que alerta para o aumento da violência nas estradas

As estradas do Rio de Janeiro registraram 13 mortes entre sexta (8) e terça-feira (12), período em que foi realizada a "Operação Padroeira" pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foram contabilizados 218 acidentes, que deixaram 90 feridos.

Em 2009, a "Operação Padroeira" teve um dia a menos, o que impossibilitaria a comparação dos dados entre as duas. No entanto, ainda assim, o inspetor André Luiz Azevedo, da PRF, explica que a polícia compara os anos para alertar os usuários sobre o crescimento da violência nas estradas.

A operação de 2009, feita entre os dias 9 e 12, registrou 190 acidentes, com 99 feridos e 6 mortos. Com a ressalva de que 2010 teve um dia a mais de análise, houve um aumento de 14,7% nos acidentes e, 116%, nas mortes. "Embora seja distorcida, para nós é uma forma mais didática de passar os dados e chamar a atenção da população para a violência. A polícia não está preocupada somente em divulgar números bons", afirma Azevedo ao iG. "Temos que manter a estatística em queda, independentemente do crescimento da frota", acrescenta.

Em 2009, cerca de 5 mil pessoas foram autuadas por infrações de trânsito, contra 9 mil deste ano. O inspetor chama a atenção para crescimento do número de pessoas dirigindo acima da velocidade permitida. Este ano, em cinco dias, aproximadamente 7 mil motoristas foram autuados por excesso de velocidade, contra 1.100 do ano passado, em quatro dias de operação. "Mesmo se relativizados por dia, esses dados seriam maiores. A frota cresceu, mas não 700% como as infrações", ressalta.

De acordo com Azevedo, algumas coicidências de fatores contribuiram para o aumento da violência nas estradas fluminenses. A PRF afirma que a maioria dos motoristas optou por deixar a cidade na noite de sexta-feira. Entre as 17h e 21h, todos os corredores viários estavam congestionados.

"A circulação de véiculos foi uma das maiores que já vimos, não conseguimos prever que seria assim", afirma Azevedo, acrescentando que o trânsito dificultou as ações da PRF e a chegada até mesmo de motocicletas aos locais de acidentes.

O ponto principal, porém, ele afirma que foi realmente a imprudência dos motoristas ao volante. "Eles se comportaram de maneira diferente das outras operações. A imprudência foi desmesurada", diz. Ele afirma que, diante destes dados, a PRF está preocupada com a chegada do verão, quando o número de turistas e, consequentemente, de veículos, aumenta nas estradas do Rio de Janeiro. "Por mais que nos esforcemos precisamos da colaboração da população".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.