Estado não tomaria Alemão antes por falta de pessoal, admite Beltrame

Secretário admite impossibilidade de sucesso sem apoio de militares. UPP no local estava prevista para 2012 e deve sair em outubro

iG Rio de Janeiro |

AP
Soldado a bordo de blindado patrulha o Complexo do Alemão nesta terça-feira

Principal quartel-general da maior facção criminosa do Rio, o Complexo do Alemão tinha a instalação de uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) prevista apenas para 2012, dentro de 14 ou 16 meses, segundo o planejamento da Secretaria de Segurança. O secretário José Mariano Beltrame reconheceu nesta terça-feira (30) que o Estado não dispunha de policiais em número suficiente para fazer a operação de tomada da área em segurança.

A onda de ataques de criminosos a veículos antecipou a invasão da área, e agora a implantação do tipo de policiamento deve acontecer no segundo semestre. Até lá, o terreno será ocupado por militares da Brigada de Infantaria Paraquedista, do Exército. A megaoperação só foi possível graças ao apoio das Forças Armadas – que incluiu o cerco do complexo feito por 800 soldados do Exército, o uso de veículos blindados da Marinha e de três helicópteros da Aeronáutica.

“[A tomada do Alemão] Não pôde ser feita antes por falta de efetivo. Você precisa planejar uma solução não só para o Alemão, mas para o Estado do Rio de Janeiro. Nesse planejamento, o Alemão estava lá para ser atendido. Mas o que preciso para fazer isso? Equipamento blindado e efetivo. Como trouxemos o Alemão para um cronograma mais à frente, quem preencheu as deficiências que ainda tínhamos foram as forças federais”, afirmou Beltrame.

O Rio tem déficit de policiais. Hoje são cerca de 38 mil PMs e 12 mil civis. Estima-se que a PM deveria ter 50 mil profissionais, e o Estado pronete mais 7 mil homens no ano que vem.

A política adotada pela Secretaria de Segurança é de ocupar inicialmente favelas consideradas de menor complexidade, para ir estabelecendo aos poucos o programa das UPPs e identificar dificuldades e problemas antes de ir para locais mais difíceis.

“Não tínhamos gente suficiente para fazer isso. Fomos ao Alemão, que era o centro de onde todos os comandos saíam para os ataques, tivemos de ir lá acabar com isso. Mas isso trouxe uma mudança na cronologia de nossas UPPs”, reconheceu Beltrame.

O secretário não quis definir uma data da UPP no Alemão, mas isso deve ocorrer em outubro, quando novos policiais militares terão se formado. O número estimado de PMs para a região é de 2.200 homens.
“O projeto está pronto. Quando tudo estiver solidamente estabelecido e tivermos os efetivos planejados para lá será instalada [a UPP]. Tudo tem o seu tempo e planejamento, um horizonte. Saímos do foco em função dos acontecimentos e conseguimos completar o planejamento do Alemão graças às forças federais”, disse Beltrame.

    Leia tudo sobre: EstadotomarAlemãofalta de pessoal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG