Em Doha, Beltrame faz propaganda de UPPs como “legado” da Copa e Olimpíadas

Secretário de Segurança diz que sociedade tomou para si o projeto das unidades pacificadoras e não admite retrocesso

Raphael Gomide, enviado especial a Doha, Catar |

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, apresentou as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) como “legado social” da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2022, na Conferência Internacional de Segurança no Esporte, em Doha, Catar.

O Brasil foi escolhido em 2007 como sede da Copa do Mundo de 2014. Na ocasião, a questão do controle de territórios pelo tráfico era uma preocupação da Fifa.

Leia também : Alemão ganha mais duas UPPs já em abril, e Exército reduz efetivo

Beltrame participou de um painel que discutia “A boa parte do jogo: maximizando os benefícios sociais de sediar um grande evento esportivo”.

De acordo com o secretário do Rio, a política de UPPs é permanente e tem a garantia de que vai continuar. Segundo ele, a maior garantia é que “a sociedade tomou para si” o projeto e “não admite retorno” ao estado anterior, de domínio das comunidades por traficantes armados.

“É um projeto que já vem desde 2008, e a sociedade não admite retorno. O programa virou lei no Rio de Janeiro e já temos o orçamento previsto para o projeto, que se conclui em 2014”, afirmou Beltrame.
O secretário admitiu que os grandes eventos servem para deixar legados sociais “com foco nas pessoas”.

* O repórter Raphael Gomide viajou ao Catar a convite do ICSS (International Centre for Sport Security)

    Leia tudo sobre: uppscopaolimpiadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG