Ele foi aluno da escola, era sozinho e estranho, diz irmã

"Ele não tinha amigos, só se for pela internet. E ele era muito estranho, muito reservado", conta irmã de criação

iG São Paulo |

AE
Imagem do atirador Wellington Menezes de Oliveira
Em entrevista à rádio Band News, do Rio de Janeiro, a irmã adotiva de Wellington Menezes de Oliveira disse que o atirador de 23 anos estudou na mesma escola onde abriu fogo contra um grupo de crianças , morava sozinho em Sepetiba, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, não tinha amigos, vivia na frente do computador e que andava “estranho”, “com a barba muito grande”.

A mulher, que se identificou como Rosilaine, contou à rádio que o rapaz foi adotado pelos pais dela quando nasceu, que a mãe morreu há dois anos e que Wellington deixou a casa há oito meses.

A última vez que viu Wellington, diz Rosilaine, foi em outubro de 2010, durante as eleições: “Na época da votação, ele veio aqui e a gente achou ele estranho, ele estava com a barba muito grande”, contou ela. Rosilaine disse que ele “falava negócio de besteira, negócio de muçulmano. Essas coisas assim”, mas ela não sabe dizer se ele freqüentava ou não alguma mesquita. “Minha mãe era Testemunha de Jeová e ele não seguiu a religião dela. Ele saiu fora. É só o que eu posso passar”, afirmou.

A irmã adotiva fez um breve perfil do rapaz, dizendo que “ele não era de sair, ele só vivia no computador. Ele não tinha amigos, só se for pela internet. E ele era muito estranho, muito reservado”.

Escute a íntegra da entrevista:

    Leia tudo sobre: Rio de Janeiroescola municipaltiroteioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG